Dança em Rede

Escola Estadual de Dança Maria Olenewa

  • Categoria: Escolas
  • País de origem: Brasil
  • UF de origem: RJ
  • Cidade de origem: Rio de Janeiro
  • Tipo de Escola: publica
  • Ano de criação: 1927
  • Formato de escola: pro
  • Processo seletivo: O ingresso na EEDMO é feito por meio de teste de aptidão no qual os professores avaliam se o/a aluno (a) possui os pré-requisitos físicos, técnicos e artísticos para se tornar um bailarino profissional. A idade mínima para se inscrever no programa de seleção é 8 anos.

    As inscrições para o exame geralmente acontecem no período de 01 a 31 de outubro.

    Documentos necessários:
    - 2 fotos 3x4
    - Certidão de nascimento
    - Atestado médico
    - Atestado de escolaridade
    - Comprovante de residência (xerox)
    - Pagamento da taxa de inscrição

  • Telefone: (21) 2332-9129
  • Endereco: Rua Almirante Barroso, 14/16 (Prédio Anexo do Theatro Municipal)
  • Bairro: Centro

Histórico

Em 1927, um acontecimento alterou a história da dança brasileira: a criação, no Rio de Janeiro, da primeira escola de dança clássica profissionalizante do País. À frente da instituição estava Maria Olenewa (1896-1965), russa apaixonada pelo Brasil, mulher confiante na potencialidade e no talento dos bailarinos brasileiros.

Desde então, a Escola Estadual de Dança Maria Olenewa (EEDMO) é uma referência na área. Possui mais de 250 alunos inscritos e quinze professores. Oferece aulas de balé clássico e de pontas, além de curso de música, de comportamento profissional na dança, de dança contemporânea, dança flamenca, caráter, história da dança, terminologia, entre outras.

Instituição pública, pertencente à Fundação Theatro Municipal do Rio de Janeiro, a escola realiza provas de admissão, quando as capacidades físicas e técnicas dos candidatos são avaliadas pelo corpo docente. Ao todo, são nove anos de estudo. O aluno, quando se forma, recebe seu diploma profissionalizante em cerimônia realizada no palco do Theatro Municipal do Rio de Janeiro.

Roberta Marquez (primeira-bailarina do Royal Ballet), Marcia Haydeé (que foi a grande estrela do Stuttgart Ballet), Bertha Rosanova (única a receber o título de prima ballerina assoluta" no Theatro Municipal do Rio), Isabel Seabra (primeira-bailarina do teatro Scala, de Milão), Tamara Capeller, Dennis Gray, Nora Esteves, Márcia Jaqueline, Cláudia Mota, todos primeiros-bailarinos do Theatro Municipal do Rio de Janeiro, Cícero Gomes e Priscilla Mota, primeiros solistas do mesmo teatro, são alguns dos nomes da dança que passaram pela instituição.

Todavia, a escola não forma apenas bailarinos, forma artistas. As atrizes Bibi Ferreira, Eva Tudor, Marília Pera, Ângela Vieira, Danielle Suzuki e o carnavalesco Joaozinho Trinta também foram alunos da instituição.

Um breve histórico da Escola:

-1909 Ê inaugurado o Theatro Municipal do Rio de Janeiro.

-1927 Maria Olenewa e Mário Nunes (crítico teatral do Jornal do Brasil) apresentam ao diretor de Patrimônio do Theatro Municipal a proposta de criação de uma escola de danças, cujo objetivo seria o de formar bailarinos para as temporadas líricas anuais do teatro. Olenewa vendeu suas joias, tapetes persas e outros bens para conseguir manter o funcionamento da escola.

-1936 Ê criado e oficializado o Corpo de Baile do Theatro Municipal do Rio de Janeiro.

-1937 Ê realizada a primeira temporada de bailados do teatro, reunindo Corpo de Baile e alunos da escola. Foram apresentados os balés Petrouchka, Les Sylphides, Divertssements e Bazar de Bonecas.
Madeleine Rosay, fruto da Escola de Dança, é a primeira brasileira a receber o título de primeira bailarina.

-1942 Maria Olenewa é afastada do cargo de diretora da Escola de Dança e do Corpo de Baile por ter sido acusada de agressão à duas alunas que chegaram atrasadas a um espetáculo.

-1943 Yuco Lindberg assume a direção da escola e do Corpo de Baile.

-1948 Yuco Lindberg falece. Maryla Gremmo e Luisa Carbonell assumem a direção interina da escola.

-1950 Novos nomes oriundos da Escola de Danças começam a ocupar cargos de primeiras bailarinas: Maria Angélica, Sandra Dieken, Addy Addor e Josemary Abrantes.

-1954 Maria Magdala da Gama Oliveira assume a direção da Escola de Dança. Por iniciativa da Comissão Artística e Cultural foram introduzidas no currículo da escola as disciplinas História da Dança e Interpretação.

-1963 A Escola de Dança passa a se chamar Escola de Dança do Estado da Guanabara, sendo desligada do Theatro Municipal, mas continua a funcionar no mesmo local, no prédio anexo ao teatro.

-1965 Morre Maria Olenewa. Nora Esteves é promovida primeira bailarina. Posteriormente, sua foto se torna o logotipo da Escola de Dança.

-1966 Lydia Costallat assume a direção da escola. Inicia-se o processo de oficialização da escola como profissionalizante em nível de 2° grau.

-1975 Ê criado o Instituto Estadual das Escolas de Arte, que passa a abrigar a Escola de Dança. Esta, passa a se chamar Escola de Dança do Ineart. Por não pertencer mais ao teatro, deve mudar de local. A escola é reconhecida como Escola Técnica Profissionalizante nível 2° Grau.

-1977 Lydia Costallat, então diretora, encontra, no Largo da Lapa, um velho prédio pertencente ao Estado que não estava mais em funcionamento. O prédio é cedido para ser sede da escola, permanecendo como tal até o ano de 2013, quando a escola volta a funcionar nas dependências do Theatro Municipal (prédio anexo).

-1983 O governador Chagas Freitas propõe mudar o nome da Escola de Dança para Escola Estadual de Dança Maria Olenewa, em homenagem à sua fundadora.
Maria Luisa Noronha assume a direção da Escola.

-1985 Ê criada a Amadança (Associação de Amigos da Escola de Dança), sem fins lucrativos, com o objetivo de ajudar na manutenção da escola.

-1987 Tânia Granado assume a direção da escola, que passa a ter as disciplinas: Dança Russa, Labanotation, Ritmoplastia e Morfologia da Música em seu currículo.

-1995 A Escola de Dança é reintegrada à Fundação Theatro Municipal. A escola volta a pertencer à sua casa de origem, 20 anos depois.

-2000 Ê realizado um convênio com a Escola Vaganova, de São Petersburgo. Professores russos passam a vir ministrar aulas do método russo para os alunos. Ê realizado um intercâmbio com a Royal Academy of Dance, de Londres.

-2001 A então presidenta da Fundação Theatro Municipal, Dalal Achcar, idealiza a série de livros Memória, publicando, dentre outras, a biografia de Maria Olenewa.

-2002 A escola completa 75 anos de existência. O professor Paulo Melgaço lança o livro: 75 anos- A história que fez estórias.

-2004 Ê publicada a primeira edição do Boletim informativo tour em la'air, com texto dos alunos, sob a coordenação dos professores Paulo Melgaço e Beth Oliosi.

-2006 A escola ganha o 1° lugar do Festival de Dança de Joinville, com a suíte do balé O corsário, além de ganhar o prêmio de melhor Grupo do Festival.

-2007 A escola participa como convidada da gala dos 25 anos do Festival de Joinville. A escola se reúne para homenagear Maria Luisa Noronha, pelos seus 20 anos frente à direção.
As alunas do 2° técnico elaboram o DVD Um trabalho de ponta, na intenção de preservar o trabalho de técnica de ponta realizado pela professora Jacy Jambay, que leciona desde 1982 até os dias de hoje.

-2008 Ê lançado um livro em comemoração aos 80 anos da Escola: Escola Estadual de Dança Maria Olenewa - Um sonho feito de cores.

-2011 A escola participa de um espetáculo para os moradores da comunidade da Rocinha, em comemoração à sua pacificação.

-2012 A escola completa 85 anos e comemora com o evento O Ballet do Theatro Municipal começou aqui.

- 2013 Alunas da Escola de Dança recepcionam no Theatro Municipal, o Papa Francisco, em sua visita ao Brasil. "
X