João Vicente e Silva Miranda Lage

  • Categoria: Profissionais da dança
  • País: Brasil
  • UF: RN
  • Cidade: Jardim do Seridó
  • Atividade: Bailarino
  • Atividade: Coreógrafo
  • Atividade: diretor da Lamira Artes Cênicas
  • Data de nascimento: 18/10/1978

Conteúdo

João Vicente começou a dançar em 1995, aos 17 anos, ao ingressar no grupo de dança popular da Escola Técnica Federal do Rio Grande do Norte (ETFRN, atual IFRN) simplesmente por estar apaixonado por uma menina desse grupo.

Como a paixão era tamanha, ainda nesse ano, e por indicação dessa garota, iniciou seus estudos em balé clássico, no Ballet Municipal de Natal, pelas mãos do professor Roosevelt Pimenta. No ano seguinte, passou a integrar o corpo de baile dessa companhia, onde teve seus primeiros contatos com coreógrafos importantes, como Luis Arrieta. A essa altura, o namoro não tinha começado, mas sua dança já tomava outros rumos.

Pouco tempo depois, ainda em 1996, passou a atuar de forma profissional, ainda em Natal, na Corpo Vivo Cia. de Dança, então dirigida por Diana Fortes, que tinha como linguagem a dança contemporânea. Lá dançou trabalhos de Sonia Motta, Marcelo Pereira e Marcelo Moacir, além de receber formação clássica, da técnica cubana, com a professora cubana Isaura Guzman.

Enquanto dançava, já havia desistido de fazer faculdade de Engenharia e, para desespero do pai, ingressou no curso de Artes Cênicas da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), mas trancou a matrícula pois, através de uma audição, mudou-se para Salvador/BA para ingressar no Balé do Teatro Castro Alves, onde ficou entre 1997 e 1998.

Em 1999, após conhecer a Quasar Cia. de Dança, que estava de passagem por Salvador, propôs ao coreógrafo Henrique Rodovalho seu ingresso no grupo goiano. Sem ser necessário ameaçá-lo de morte, ingressou na Quasar em 1999, onde ficou até 2001 e colaborou na criação do espetáculo Coreografia para Ouvir" (1999).

Em 2001, mudou-se para Belo Horizonte e passou a integrar a Quik Cia de Dança, colaborando com a montagem do espetáculo “Dos Tornozelos a Alma”. Enquanto dançava, também começou a dar aulas de dança em projetos sociais das ONGs Corpo Cidadão e Querubins. Com isso, passou a se interessar pela licenciatura.

Em 2004, foi admiitido no Grupo Corpo em 2004, onde acompanhou a produção de "Onqotô" (2005), "Breu" (2007) e "Ímã" (2009). Ficou lá até 2008.

Em 2005, foi a um ensaio da Cia. de Dança Mário Nascimento e conheceu Carolina Galgane, uma das bailarinas do grupo. Um ano depois, já estavam namorando e, seis meses depois, casaram-se.

Cansados da vida de viajantes, João e Carolina decidiram se afastar de suas companhias e vivenciar uma vida matrimonial menos atribulada de viagens. Para isso, em 2009, foram aprovados em concurso da Secretaria Municipal da Educação de Palmas para trabalhar no Projeto Salas Integradas, dando aulas de dança dentro das Escolas Municipais de Tempo Integral de Palmas.

Ainda nesse ano, o casal se reuniu com outras pessoas e, como grupo independente, a turma se inscreveu para o Prêmio Klauss Vianna, da Funarte, com o qual foi contemplado. Os recursos obtidos financiaram a montagem do espetáculo “Na Palmas dos Olhos”, primeira experiência como diretor e coreógrafo de João Vicente, que se formou em Teatro pela Universidade Federal do Tocantins (UFT).

O sucesso da montagem dentro e fora de Palmas motivou os bailarinos a se organizarem juridicamente em forma de companhia. Assim nasceu em 2010 a Lamira Cia. de Dança, que, mais tarde, passou a ser chamada de Lamira Artes Cênicas devido à incorporação, em seus trabalhos, de várias linguagens.

Desde então, Vicente atua como coreógrafo, diretor e oficineiro do grupo. "

Links

Trabalhos

Gibi (2013)

"Adorno da Realidade" (2012)

"Fela da Gaita" (2012)

"Do Repente" (2011)

"Na Palma dos Olhos" (2009)"
X