Luis Arrieta

  • Categoria: Profissionais da dança
  • País: Argentina
  • Cidade: Buenos Aires
  • Atividade: Bailarino
  • Atividade: Coreógrafo
  • Data de nascimento: 03/07/1951

Conteúdo

Luis Arrieta nasceu em 3 de setembro de 1951, em Buenos Aires, na Argentina. Em 1968, recebe o diploma de Perito Mercantil da Escuela de Comercio Abraham Lincoln, de Buenos Aires e estuda cenografia na Universidad de El Salvador. Inicia seus estudos em dança somente em 1972, na Escuela del Ballet Contemporáneo de la Ciudad de Buenos Aires, sob a direção de Oscar Araiz. Atua como modelo fotográfico.

Em 1974, viaja para o Brasil e atua no Ballet Stagium e em seguida no Corpo de Baile do Teatro Municipal de São Paulo, atual Balé da Cidade de São Paulo. Em 1976, dança também na Associação de Balé do Rio de Janeiro.

Em 1977, recebe o Prêmio da Associação Paulista de Críticos de Arte (Apca) de melhor bailarino do ano por sua atuação em Prelúdios, de Araiz e 1978, recebe o Prêmio Governador do Estado de São Paulo como melhor bailarino. Em 1979, coreografa para o Balé Ismael Guiser e em 1980 atua como diretor assistente no Corpo de Baile do Teatro Municipal de São Paulo.

Em 1981, torna-se assistente de direção do Corpo de Baile do Teatro Municipal, que neste ano passa a se chamar Balé da Cidade de São Paulo.

Em 1982, atua como diretor artístico do Elo Ballet de Câmara Contemporâneo,de Belo Horizonte (MG). Organiza o primeiro corpo de baile da TV Manchete e o show de estreia da emissora, em 1983. Dança por seis meses na Companhia Oficial de Wiesbaden, na Alemanha, em 1984. Em 1985, recebe o prêmio do Conselho Estadual de Cultura da Bahia. Em 1986, atua por três anos como diretor artístico do Balé da Cidade.

Em 1991, recebe bolsa para criação coreográfica e pesquisa da Fundação Vitae. Em 1995, participa de homenagem a Margot Fonteyn (1919-1991), em comemoração aos 75 anos da Royal Academy of Dancing, com O Toque, extraído do espetáculo Telas. Como professor, desenvolve o tema “Visão Holográfica da Técnica Clássica”, no centro de Pesquisa e Pós-Graduação da FMU, em São Paulo.

Em 1996, recebe prêmio de melhor coreógrafo do XIV Festival Internacional de Dança de Joinville e em 1999 ganha o prêmio Sesc-Sated para Artes Cênicas por Noite Transfigurada com a Cia. de Dança de Minas Gerais.

Em 2004, a convite de Ana Botafogo, é responsável pelo projeto de Iluminação do programa “Viagem Musical à Terra dos Czares”, no Centro Cultural Banco do Brasil de São Paulo. Integra o júri de premiação de mais um Festidança, em São José dos Campos. Em 2006, recebe o Prêmio Klaus Vianna/Petrobrás.

Um texto e cronologia de Luis Arrieta produzidos para o projeto Figuras da Dança pode ser acessado aqui: http://www.saopaulocompanhiadedanca.art.br/folhetos_figuras_da_danca.php

Links

(Pesquisa SPCD) 6

Bibliografia

Documentário Luis Arrieta - Figuras da Dança | Direção Inês Bogéa e Sérgio Roizenblit | São Paulo Companhia de Dança, SP, 2009

Luis Arrieta – Poeta do Movimento | Roberto Pereira | Coleção Aplauso Dança | Editora Imprensa Oficial, 2010

Videografia

http://www.youtube.com/watch?v=ztLdsd6u3jk

http://www.youtube.com/watch?v=T9JPkPxWbXw

http://www.youtube.com/watch?v=7r-gwnzghN4

http://www.youtube.com/watch?v=ASKQpDEvPtQ

http://vimeo.com/11089180

"

Trabalhos

1972 Dança La Reina de Hielo, de Araiz. Atua no Gran Ballet Joaquín Pérez Fernández, dançando os folclóricos Velorio del Angelito Muerto en Tiempo ‘I Chaya e Canto a Mi Madre Tierra.

1973 dança Trescientos Millones, com texto de Roberto Arlt. Dança na Compañía de Shows de Nacha Guevara, que apresenta Las Mil y Una Nachas com coreografi a de Antoinette San Martín. Atua no espetáculo Requiem (Para Una Gota de Lluvia), com coreografia de Marta Jaramillo.

1974 dança Jerusalém, de Décio Otero, Psycospeculum, de Cristian Uboldi, Orfeu e Eurídice, de Marika Gidali e Otero e Episódios, de Otero e Todd Bolender (1914-2006). No Corpo de Baile do Teatro Municipal de São Paulo, dança Uma das Quatro, de Victor Navarro, e Paraíso? e Sem Título, de Antonio Carlos Cardoso. Atua na Associação de Ballet do Rio de Janeiro dançando Messias, de Gilberto Motta, e O Quebra Nozes e Floresta Amazônica, de Dalal Achcar.

1976 Na Associação de Ballet do Rio de Janeiro, dança Festival, de Oscar Araiz, Mancenilha, de Madeleine Rosay (1924-96), Com Amor, Nosso Tempo e Cenas Brasileiras, de Dalal Achcar, e Nhamundá, de Renato Magalhães.

1977 Cria sua primeira coreografia, Camila, em homenagem à avó materna, apresentada no 1º Workshop do Corpo de Baile do Teatro Municipal. Nesta companhia, dança Nosso Tempo e Percussão para Oito, de Antonio Carlos Cardoso, Pulsações, de Célia Gouvêa, Canções, de Oscar Araiz, Corações Futuristas e Era uma Vez, de Victor Navarro e O Galo de Ouro, de Tatiana Leskova.

1978 Cria e atua em Testemunho para o Corpo de Baile do Teatro Municipal. Dança Vivaldi, Apocalipsis e Danças Sacras e Profanas, de Victor Navarro, Prelúdios de Chopin, de Oscar Araiz, Urbana, Rural, Suburbana, de Sonia Mota e Espelho, Espelho Meu..., de Emilio Gritti, naquela companhia. Coreografa Pastoralpara o Grupo Andança.

1979 Coreografa Children’s Corner para o Ballet Ismael Guiser, de São Paulo. No Corpo de Baile do Teatro Municipal, dança Aquarela do Brasil e Brahms, de Antonio Carlos Cardoso, Hoje é Amanhã, de Clive Thompson, Daphnis et Chloé, de Victor Navarro, Concertinho, de Paulo Contier e Balanços, de Ivonice Satie (1950-2008), além de criar Presenças em homenagem a sua mãe.
1980 Cria Da Infância, Um Retrato (em que também dança) e Sanctus. Coreografa Primeira Oração, para a Cisne Negro Companhia de Dança, de São Paulo, Para un Niño Muerto, para o Grupo Casa Forte, de São Paulo e Céu e Inferno, para Ivonice Satie. Coreografa Libertas, Quae Sera Tamen e Eterno Infi nito, que no ano seguinte integraria um especial comemorativo da tv Globo pelo aniversário de São Paulo.

1982-Coreografa Nascer ou Algumas Profecias Cotidianas
e Eternas para a companhia, coreografia de que faz parte Trindade, que seria dançada como peça independente por outras companhias. Coreografa Terceira Oração para o Grupo de Dança Imbahá, de Porto Alegre, Maceió
para o grupo Iris de Alagoas, de Maceió (CE), Tempo de Tango para a Cisne Negro Companhia de Dança.

1983 Cria Signos, com música especialmente composta por Oswaldo Montenegro, para o Grupo Núcleo Artístico, de Belo Horizonte, Do Homem ao Poeta para a Cisne Negro Companhia de Dança e Paisagem em Azul para o
Grupo Produções Artísticas, de Assunção, Paraguai.

1984 Coreografa Paisagem com Gaivotas, para o Grupo Ópera Paulista.

1985 Cria a versão completa de Sanctus para o Balé Teatro Castro Alves, de Salvador (BA). Recebe o prêmio do Conselho Estadual de Cultura da Bahia
pela coreografia. Cria Destino para a Cisne Negro Companhia de Dança, Abrazo para o Ballet Ismael Guiser, Colheita para o Grupo Iris de Alagoas e A Sagração da Primavera para o Balé da Cidade de São Paulo.

1987 Cria Cantata para América Mágica e Berimbau para o Balé da Cidade. Remonta Presenças para o Ballet Contemporáneo do Teatro San Martín, em Buenos Aires.
1988 Cria Mandala/Der Weg Nach Innen para a Companhia Oficial de Wiesbaden. Coreografa Mar de Homens para o Balé da Cidade.

1989 Cria Adeus para o Grupo 1º Ato, Inconfidência para a Cia. de Dança do Palácio das Artes (atual Cia. de Dança de Minas Gerais), Palhaços, para a Compasso Cia. de Dança e SOS Brasil para o Grupo Núcleo Artístico (com
o qual vence a concorrência Fiat), todas de Belo Horizonte. Cria Trívio para o Ballet Ismael Guiser.

1990 Coreografa O Pássaro de Fogo para Cia. de Dança do Palácio das Artes. Vence a concorrência Fiat com Wa’ya, criada para a Meia Ponta Cia. de
Dança, de Belo Horizonte. Cria Ausência para o Balé da Cidade e versão de Palhaços para o Grupo de Danças Raízes, de Caxias do Sul (RS).

1991 Cria Estância e Pavana para uma Infanta Defunta para o Balé Teatro Guaíra. Coreografa Les Noces para o Balé da Cidade, Tempo de Dunas para a Acauã Cia. de Danças, de Natal (RN), Offertorium para Cláudia Araújo e
Sérgio Campos e Andante para o Ballet Ismael Guiser.

1992 Apresenta o espetáculo Um, Dois, Três: Solos, Duos, Trios – Luis Arrieta por Luis Arrieta, com as inéditas Oração, Cisne (na qual dança), Outono, La Valse, Dois Clarinetes e Ocean, além de Malambo, Tango, Palhaço, Andante e Pavana. Cria De Mar e Areia para o Balé Teatro Castro Alves. Cria A Esperapara o Balé da Cidade. A Cia. de Dança do Palácio das Artes e o Balé da Cidade apresentam Pavana. O Ballet Ismael Guiser dança Estância.

1993 A Cia. de Dança do Palácio das Artes apresenta O Cisne, La Valse, Tango, De Mar e Areia e Trindade. Cria Beijo I para o Balé Teatro Castro Alves. Cria Willis Now para a Cia. Profissão Dançar, de São Paulo, Warm-up
para o Balé da Cidade, Pampa para o Ballet Grand Théâtre de Genè ve e Tango Trio para Ana Botafogo, Marcelo Misailidis e Helio Bejane para as
comemorações dos 300 anos de Curitiba.

1994 Cria Noch Einmal para a companhia Vacilou Dançou, do Rio de Janeiro. Co-dirige Telas para o Grupo Camaleão. Apresenta Sanctus, com o Balé Teatro Castro Alves, em Israel. La Valse e Tango integram o 5º Festidança, em São José dos Campos (sp).

1995 Cria Fragmentos da Página 5 para o Ballet Municipal de Natal e Noch Viel Mal para o Grupo de Dança da Universidade Federal do Rio Grande do Norte. Elabora a versão completa de Noch Einmal para o Ballet Ismael
Guiser, São Paulo. Baseado em um roteiro de Antonio Carlos Cardoso, concebe Orixá para o Balé Teatro Castro Alves. Na Floresta é elaborada para a Cia. de Ballet da Cidade de Niterói, que também dança Pavana.

1996 Cria Tango Três x Três, para a Raça Cia. de Dança, de São Paulo, e o solo Ave Maria, que ele próprio interpreta. Coreografa Trevo e Quebrada, para o Ballet Ismael Guiser, La Telesita e Libertango, para o Beth Dorça Ballet, de Uberaba (MG), além de Marnatal, para a Roda Viva Cia. de Dança Sobre Rodas, de Natal (RN). As coreografias Nuestros Hijos e Promenade são
criadas especialmente para sua própria interpretação em duo com Luciana Porta. Coreografa Milonga del Ángel, na qual divide o palco com Gustavo Lopes.

1997 Cria A Noite Transfigurada, para a Cia. de Dança de Minas Gerais, assina a direção artística em De Minh’Alma, para a Raça Companhia de Dança, e coreografa Dear Friend, para o Lenita Ruschel Pereira Ballet, de Porto
Alegre, também levada ao palco pelo Ballet Ismael Guiser.
Orixá e Sanctus, em Weimar, na Alemanha. Participa do São Paulo Dança Moderno, no Sesc Pinheiros, em São Paulo, com solo-homenagem a Ismael Guiser (1927-2008). Recebe o título de Personalidade da Dança pela revista Dança Brasil.

2000 Cria No Porão para a Cia. 2 do Balé da Cidade e Conceição de Todos os Bugres, para a Ginga Cia. de Dança, de Campo Grande (ms). O Ballet do
Theatro Municipal do Rio de Janeiro apresenta Pavana. O Balé Teatro Castro Alves apresenta Sanctus e Noch Einmal em Londres, Inglaterra.

2001 Concebe Três Momentos do Amor, para Ana Botafogo, Bruno Cesário e Joseny Coutinho e Um Longo e Sinuoso Caminho, para a Companhia Jovem de Ballet do Rio de Janeiro. O Corpo de Dança do Amazonas apresenta Mandala. O Grupo Camaleão, de Belo Horizonte, estréia Aparecida (versão completa), que recebe o prêmio Sesc Sated das Artes Cênicas de Minas
Gerais como Melhor Espetáculo.

2002 Cria Na Cadência do Samba, especialmente para Andréa Pivatto. Estréia O Grande Circo Místico, baseado em roteiro original de Naum Alves, para o Balé Teatro Guaíra. Ministra a ofi cina “Composição Coreográfi ca”,
no 20º Festival de Dança de Joinville. O Balé Teatro Castro Alves apresenta Sanctus na Itália.

2003 Coreografa Uaikuru para o Balé Teatro Castro Alves e A Promessa, especialmente para interpretação de Ruth Rachou.

2004 Daniela Stasi estréia o solo Dança Russa (Studio 3). Cria Carmem, para a Companhia de Ballet da Cidade de Niterói (rj). No espetáculo Tropicália, participa com quatro coreografi as apresentadas pela Cia. El Paso de Dança. Cria Sostenuto, com o Balé Teatro Castro Alves e Sala de Espera, para a Companhia de Danças de Diadema (sp). Dança Ave Maria na Gala 3, do Studio 3. A convite de Ana Botafogo, é responsável pelo projeto de Iluminação do programa “Viagem Musical à Terra dos Czares”, no Centro
Cultural Banco do Brasil de São Paulo. Dança Milonga del Ángel com Gustavo Lopes no programa “Personalidades da Dança”, no Teatro Municipal de São Paulo. Participa do Panorama Sesi de Dança interpretando sua coreografi a O Cisne. Integra o júri de premiação de mais um Festidança, em São José dos Campos.

2005 Cria Conjunção especialmente para sua interpretação com Ivonice Satie e Felicidade numa Flor do Campo, para Andréa Pivatto e Alessandro Nascimento. Dança, com Olaf Schmidt, Milonga Del Ángel em espetáculo dedicado ao combate da aids em Regensburg, Alemanha.

Em 2006 Cria Carnaval dos Animais e a interpreta no espetáculo L. A. Dança, que reúne obras suas.
2007 Cria O Cisne especialmente para sua interpretação com Ana Botafogo. Monta uma nova versão de Carnaval dos Animais, desta vez com concepção e fotografi as de Antonio Carlos Cardoso.

2008 Dança Ave Maria em espetáculo realizado no td – Teatro da Dança em homenagem a Ivonice Satie. Remonta La Valse em versão para oito bailarinos. Apresenta O Cisne durante a Virada Cultural em São Paulo. Cria Umbral para o Balé da Cidade. Participa do encontro de ex-diretores do Balé da Cidade de São Paulo, durante programação que celebra os 40 anos da companhia.
X