Márcia Haydée

  • Categoria: Profissionais da dança
  • País: Brasil
  • UF: RJ
  • Cidade: Niterói
  • Atividade: Bailarina
  • Atividade: Diretora
  • Atividade: Maître
  • Data de nascimento: 18/04/1937

Conteúdo

Márcia Haydée Salaverry Pereira da Silva nasceu em 18 de abril de 1937, na cidade de Niterói, no Rio de Janeiro. Iniciou sua formação no balé com Yvone Gama.

Mudou-se para o Rio de Janeiro, em 1943, onde teve aulas com Yuco Lindberg (1906-1948), Vaslav Veltchek (1896-1967) e Tatiana Leskova. Em 1951, integra o Ballet do Theatro Municipal do Rio de Janeiro.

Muda-se para Londres, em 1954, para estudar na The Royal Ballet School, onde fica por dois anos. Tem aulas com Winifred Edwards (1894-1989), ex-bailarina da Companhia de Anna Pavlova, e com Harold Turner (1909-1962).

Em 1957, muda-se para Paris, onde frequenta aulas de Lubov Egorova (1880-1972) e Olga Preobrajenska (1871-1962). Ê contratada pelo Grand Ballet do Marquês de Cuervas, em Buenos Aires, onde permanece por quatro anos.

Em 1961, após deixar a companhia, Márcia é contratada por John Cranko (1927-1973) para o The Stuttgart Ballet, como primeira-bailarina, onde dançou vários balés. Teve como partner de longa data Richard Cragun. Em 1969, participa da primeira temporada do The Stuttgart Ballet nos Estados Unidos, no Metropolitan Opera House, em Nova Iorque.

Em 1974, o coreógrafo Glen Tetley aceita o convite de Márcia para dirigir o The Stuttgart Ballet. A companhia encena Voluntaries, feita em homenagem a Cranko, Labirintus, e A Sagração da Primavera, três obras
de Tetley, que deixa o cargo de diretor da companhia no ano seguinte e Márcia assume até 1996.

Em 1992, Márcia é convidada pelo Balé Nacional do Chile para fazer a montagem de Pássaro de Fogo, coreografia criada para ela por John Cranko. Em 1993, assume a direção do Ballet de Santiago, função que desempenha até 1995. No mesmo ano, no Rio, dança seu último espetáculo usando sapatilha de ponta, com coreografia feita para ela por Roberto de Oliveira. Recebe o título honorífico de Benemérito do Estado do Rio de Janeiro. Em 1996, deixa a direção do The Stuttgart Ballet.

Em 1999, volta aos palcos dançando a peça Tristão e Isolda, com o bailarino brasileiro Ismael Ivo, na Alemanha. Em 2001, participa do Festival de Artes, em Hong Kong.
Passa a desempenhar a função de diretora do Ballet de Santiago, em 2004. Em 2007, em comemoração ao seu 70º aniversário, é homenageada com uma gala, em Stuttgart.

Recebe o Prêmio Apes 2008, no Chile, por sua contribuição as artes e a cultura. Participa da Gala de Estrelas Internacional no Festival de Xangai, China, e participa também da Gala de Homenagem a John Cranko, em Stuttgart, Alemanha.

Ê agraciada na Alemanha com a Cruz Federal de Mérito, em 2009, prêmio concedido pelos Estados Federados Alemães a personalidades pelo seu desempenho político, econômico e cultural. Em 2010, remonta A Bela Adormecida, em Perth, na Austrália.

Em 2010 foi uma das personalidades da série Figuras da Dança da São Paulo Companhia de Dança. O vídeo com direção de Inês Bogéa e Moira Toledo, contam com um texto biográfico de Priscila Sacchettin. O download do material está disponível em http://www.saopaulocompanhiadedanca.art.br/folhetos_figuras_da_danca.php"

Bibliografia

Documentário Márcia Haydée - Figuras da Dança | Direção Inês Bogéa e Moira Toledo | São Paulo Companhia de Dança, SP, 2010

Márcia Haydée – Uma Vida Para a Dança | Telma Mekler e Márcia Haydée | Editora Relume Dumará, 1994

Videografia

http://www.youtube.com/watch?v=DvS6vSlanEw
http://www.youtube.com/watch?v=ShQAI-TRJWc
http://www.youtube.com/watch?v=cDloTFpoZAI
http://www.youtube.com/watch?v=GGeul-zKSm0
http://www.youtube.com/watch?v=70lCg0yrcOs




Trabalhos

1952 Participa da ópera Sansão e Dalila, de Camille Saint-Saëns, no Theatro Municipal do Rio de Janeiro.
1958 Pelo Ballet do Marquês de Cuevas dança Tryptique, de Edward Caton e Corrida. A primeira coreografia que dança no Stuttgart é Pássaro Azul. Dança também O Príncipe dos Pagodes (1957), criação de Cranko.
1962 Estreia, ao lado de Ray Barra, Romeu e Julieta, versão de John Cranko, e O Quebra-Nozes, também dele.
1964 Estreia O Pássaro de Fogo, originalmente de Fokine, com remontagem de Cranko.
1965 Dança Romeu e Julieta, com Cragun, e estreia Song of the Earth, de Kenneth MacMillan (1929-1992).
1967 No papel de Tatiana estreia nova versão de Oneguin, de Cranko. Dança Oiseaux Exotiques, também do coreógrafo.
1968 Estreia Die Sphinx, de MacMillan, com Heinz Claus, Cragun e Egon Madsen.
1969 No papel de Catarina, estreia A Megera Domada, de Cranko, em Stuttgart.
1969 Dança Oneguin e A Megera Domada. Dança Las Hermanas. Interpreta Giselle, Présence e O Quebra-Nozes.
1970 Dança Miss Julie, de MacMillan, e Kommen und Gehen, de Jirí Kylián.
1971 Conhece Maurice Béjart (1927-2007) e Jorge Donn (1947-1992). Estreia, pelo The Stuttgart Ballet, Carmen, de John Cranko.
1972 Dança Initials R.B.M.E., criada por Cranko para os primeiros-bailarinos: Richard Cragun, Birgit Keil, Márcia Haydée e Egon Madsen.
1973 Estreia Spuren, última coreografia de Cranko, que falece em setembro, logo após temporada nos Estados Unidos. Estreia Voluntaries, de Glen Tetley(1926-2007). Dança Twilight, de Hans van Manen.
1975 Aceita o convite de John Neumeier para dançar sua a versão de Hamlet, obra encomendada pelo American Ballet Theatre. Dança Dafne e Cloé, de Tetley.
1976 Dança Requiem, de MacMillan, que é uma homenagem a Cranko.
1977 Faz um pas de deux com Cragun para o filme The Turning Point, de Herbert Ross.
1978 Dança A Dama das Camélias, criação de Neumeier, baseada no livro de Alexandre Dumas, com música de Chopin, para o The Stuttgart Ballet.
1983 No papel de Blanche du Bois, dança a coreografia Um Bonde Chamado Desejo, de Neumeier, baseada na peça de Tennessee Williams, com música de Prokofiev e Schnittke. Estreia Isadora, de Béjart.
1986 Interpreta Fratres, de Neumeier, pelo The Stuttgart Ballet.
1987 Ê uma das estrelas do filme de Neumeier, A Dama das Camélias, inspirado em sua coreografia.
1990 Dança Medeia, de Neumeier.
1991 Interpreta, com Cragun, Stati di Animo, Renato Zanella.
1996 Participa da gravação de Giselle... The Making Of, juntamente com Birgit Keil.
1998 A convite de Jean-Yves Lormeau, interpreta A Rainha em O Lago dos Cisnes, no Theatro Municipal do Rio de Janeiro. Ê convidada para fazer a Feiticeira em ASílfide, no The Stuttgart Ballet.
2002 Dança com Ismael Ivo M.- Like Callas, coreografia de Ivo.
2003 Béjart a convida para fazer o papel de Madre Teresa de Calcutá em Madre Teresa e as Crianças do Mundo.
2004 Monta suas versão de A Bela Adormecida. Estreia o duo A Tempestade, de Ismael Ivo, ao lado do próprio coreógrafo.
2006 Dança Corpos Pintados, com Ismael Ivo.
2007 Monta sua versão de Cinderela para o Ballet de Santiago.
2008 Monta sua versão de Carmen para o Ballet de Santiago. Interpreta uma professora de dança no filme El Baile de La Victoria, escrito por António Skármeta.

X