Dança em Rede

Gisèle Santoro (Filha)

  • Data de nascimento: 14/09/1964

Histórico

Filha do compositor e maestro Claudio Santoro (1919-1989) e da professora e coreógrafa Gisè le Santoro, começou a dançar aos sete anos sob a tutela da própria mãe, na Alemanha, onde morou até 1978. De volta ao Brasil, foi admitida por concurso, aos 16 anos, no Corpo de Baile do Theatro Municipal do Rio de Janeiro. Um ano depois, em 1982, recebeu uma bolsa de estudos de dois anos do então governo soviético para estudar na Escola Coreográfica Estatal de Ballet de Kiev, onde permaneceu sob orientação de Galina Kirilova, ex-primeira-bailarina do Ballet do Teatro Mariinsky e aluna de Agrippina Vaganova (1879-1951).

Após esse período de estudos, Gisè le atuou como primeira-bailarina convidada em “Paquita”, de Eugenia Feodorova (1984), em comemoração aos 30 anos do Ballet Eugenia Feodorova, no Rio de Janeiro, em 1984. Também se apresentou como solista convidada da Ópera de Ulm, na Alemanha, do I Balletti di Susanna Egri, na Itália, e do Ballet Teatro Producciones, em Assunção, no Paraguai, onde ministrou cursos de aperfeiçoamento e representou o Brasil na primeira e segunda Gala Latino-Americana de Dança (1986 e 1988).

Como primeira-bailarina concursada do Ballet de Brasília, participou de inúmeras montagens de repertório clássico e de obras contemporâneas. Em 1987, recebeu uma bolsa de especialização do CNPq para pesquisar repertório, como intérprete e ensaiadora, em importantes centros mundiais. Assim, partiu em peregrinação por institutos como o Centro di Studi della Danza, em Turim, na Itália, a Staatliche Ballettschule Berlin e a Akademie des Tanzes da Staatliche Hochschule für Musik Heidelberg-Mannheim, na Alemanha, onde, tempos depois, assumiria o comando das aulas de repertório durante três anos.

Até 1991, ainda no país germânico, atuou como solista do Teatro Nacional de Mannheim. De 1992 a 2005, foi primeira-bailarina do Teatro Magdeburg. Atuou também como maître de ballet assistente da companhia e professora da Escola de Ballet do Teatro Magdeburg, onde ajudou a criar um repertório novo e a formar novos bailarinos, além de ter sido responsável pelos ensaios do corpo de baile infanto-juvenil.

Nesse período, destacou-se na interpretação dos seguintes papéis do repertório clássico: Giselle e Myrta (“Giselle”), Kitri e Mercedes (“D.Quixote”), Marie (“O Quebra-Nozes”), Fada Lilás (“A Bela Adormecida”), “Paquita”. Além disso, também dançou pas-de-deux de coreógrafos do século 20, como Uwe Scholz (1958-2004) e Kenneth MacMillan (1929-1992), e obras contemporâneas de Irene Schneider e Joachim Gerster especialmente criadas para ela, como “Alma”, da ópera homônima criada pelo seu pai, Claudio Santoro, e apresentada no 2º Festival de Ópera de Manaus, em 1998.

Ainda em Magdeburg, coreografou inúmeros balés tanto para a escola quanto para o corpo de baile do Teatro, entre os quais “Stabat Mater”, “Klavierkonzert” e “Dichterliebe”. Além disso, fundou, dirigiu e organizou o Festival Internacional de Escolas de Dança, realizado de 2000 a 2004. Todo esse trabalho a levou a ser agraciada com o Prêmio de Estímulo a Jovens Artistas conferido pelo Teatro e receber uma indicação a cidadã do ano de 2002 daquele município.

Mesmo durante o tempo em que permaneceu na Alemanha, Gisè le nunca se desconectou com o Brasil. De 1991 a 2008, participou como solista do Seminário Internacional de Dança de Brasília, evento com o qual colabora até hoje como professora, remontadora e ensaiadora.

Ainda no Brasil, coreografou “Cartas de Mozart”, em 2006, e “O Quebra-Nozes”, em 2007, além de ter sido convidada como maître de ballet para visitar companhias como Cisne Negro, Deborah Colker, Ballet da Cidade de Niteroi e Ballet do Theatro Municipal Rio de Janeiro, onde atuou por três vezes como assistente de coreografia de Yelena Pankova na remontagem de “O Lago dos Cisnes” (2007, 2008, 2013). Ao lado da mesma coreógrafa, remontou ainda “A Bela Adormecida” para a Ópera de Split, na Croácia, em 2012.

A convite da Orquestra Sinfônica do Teatro Nacional Claudio Santoro da Secretaria de Estado de Cultura do DF coreografou a ópera Carmen" (2012/2013) e o balé "O Quebra-Nozes" (2012). Também coreografou "O Lago dos Cisnes" para o encerramento do 23º Seminário Internacional de Dança de Brasília, em 2013.

Como maître convidada, Gisè le já esteve nas escolas do English National Ballet e do Ballet da Ópera de Viena, além da Ópera de Leipzig, Ópera de Hannover e Badisches Staatstheater Karlsruhe, entre outras instituições.

"

Links



(por Amanda Queirós | Pesquisa SPCD) 638
X