Dança em Rede

Marina Carleial

  • Categoria: Profissionais da dança
  • País de origem: Brasil
  • UF de origem: CE
  • Cidade de origem: Fortaleza
  • Atividade: Bailarina
  • Atividade: Coreógrafa
  • Atividade: estilista de figurinos artísticos
  • Data de nascimento: 30/10/1981

Histórico

Marina Carleial iniciou seus estudos em dança a partir do balé clássico em 1989. Entre 2001 e 2002, foi aluna e bailarina do Colégio de Dança do Ceará, onde dançou o espetáculo “Outro Tango”, coreografado por Paulo Caldas em 2002, último ano do Colégio de Dança do Ceará.

Neste mesmo ano, ela participa como bailarina do I Ateliê de Coreógrafos Brasileiros, em Salvador/BA. Em 2003, propõe o espetáculo Música para as Rosas, em parceria com Janahína Santos (atualmente na Cia. Viladança, Salvador/BA) e trabalha com o Projeto de Extensão Vixe! Grupo de Dança, pelo curso de Psicologia da Universidade Federal do Ceará – UFC. Realiza residência coreográfica com Rachid Ouramdane (FRA) e produz o espetáculo Limites no ano de 2004. Dois anos depois, forma-se em Estilismo e Moda pela UFC.

Por um ano e meio, Marina morou na Cidade do México, onde fez aulas com a Cia. Danza Libre e workshops de dança contemporânea sediados na Universidad Autónoma de México (UNAM). A bailarina também teve contato com a técnica Leeder, com Edgar Robles no Centro Nacional de Las Artes (CNA). Ainda no México, Marina teve a oportunidade de assistir a Cia. José Limón e participar do Encuentro Internacional de Investigación de la Danza José Limón como palestrante (onde desenvolveu fala sobre figurino). Na revista DCO (Danza Cuerpo y Obsesión), publicou um artigo também sobre figurino.

Anos depois Marina partiu para a Holanda. Na capital, fez aulas na Henny Jurriëns Foundation Amsterdam e pode assistir trabalhos de coreógrafos importantes como Jérôme Bell, Anne Theresa e Wiliam Forsythe. Participou também do encontro ICKA Amsterdan e conheci o japonês Akira Hino.

“No entanto, o que mudou principalmente foi a maneira de ver a arte: com um ângulo mais aberto, com uma lente que oferece mais detalhes. Acredito que quanto mais experiências vivenciamos, mais cheio fica nosso discurso, mais completo e interessante porque se torna mais complexo”, disse em entrevista ao blog Enquanto Danças.

Videografia

Trabalhos

Dança:
- Sono Vigília (2013)
- Compartir (2007)
- Música para Rosas (2003, em parceria com Janahina Santos.
- Limites (2004).

Estilismo:
- Alegria Alegria (2013), espetáculo de conclusão da escola de dança da Vila das Artes.
- Compartir (2007)
X