Coletivo de Sonhos

Conteúdo

O embrião dessa proposta nasceu da experiência do professor, coreógrafo e bailarino João Pirahy de convidar seus alunos para participarem de seus estudos do corpo e criações coreográficas de maneira colaborativa, mesclando outras habilidades artísticas à dança.

O método já é assinatura do profissional, que acredita que a melhor forma de trazer o intérprete para a cena é oferecendo a ele a liberdade de experimentar a coreografia a partir da bagagem e das sensações que carrega, dançando a sua verdade e não uma sequência introjetada.

Dessa intenção, nasceu em agosto de 2011, um grande coletivo multidisciplinar, batizado de Coletivo de Sonhos, formado por bailarinos experientes, alunos com algum tempo de estudo e iniciantes, além de músicos, cantores, artistas circenses, atores e artistas em geral.

Links

1ª. Mostra Teatro e Cinema em movimento – Cinebus (São Paulo – Brasil – 2014)

Bibliografia

para inclusive refletir sobre os resquícios ou transposições que ainda permeiam a nossa sociedade ocidental capitalista.
Foi apresentado em: Praça Victor Cevita (2013) e Teatro Paiol (2013).

-Vídeo-dança Amores Concretos"
O desejo é manifestado através do concreto de cimento da cidade. Somente uma conexão, uma linha fina, pode quebrar a dureza do concreto que existe dentro de cada um de nós.Este vídeo participou das seguintes mostras: 1ª. Muestra Internacional de Cine y Ciudad -Ciudades Reveladas – Argentina (2013)"

Videografia

7º. For Rainbow – Fortaleza – Brasil (2013)

Trabalhos

-Sonhos Lúcidos – Onirocrítica
Trata da dualidade inerente a todo ser humano ao longo da vida: a guerra entre a consciência e a inconsciência, a luz e a sombra, o ego e a devoção ou entrega. Esses aspectos são retratados por meio da experiência do sono, trama perfeita para conduzir o espectador as suas próprias interpretações, já que os sonhos costumam nos levar para esferas pouco tangíveis, que permeiam a realidade e a ilusão. Foi apresentado em: Pulsarte (2012), Teatro Sergio Cardoso (2012), Fnac Pinheiros (2013), Ceu Vila do Sol e Ceu Casa Branca (2013).

-"Íntima Visão de um Corpo Surrado"
Reverencia vida e obra do artista plástico e fotógrafo Jan Saudek. A capacidade de transformar os próprios relatos de uma vivência sofrida em imagens. Expor obras artísticas que não ocultam sua dor, traz ao grupo de bailarinos o interesse em transbordar para a dança esse diário do inconsciente que o artista Jan Saudek produziu, e propõe uma forma de lidar com lembranças dos conflitos bélicos que vivenciou. Trazendo assim, uma visão de cotidiano dentro de ordens sociais atravessadas pela violência"
X