Histórico

Criada em janeiro de 2008, a São Paulo Companhia de Dança (SPCD) é um corpo artístico da Secretaria de Cultura, Economia e Indústria Criativas do Estado de São Paulo  , gerida pela Associação Pró-Dança e dirigida por Inês Bogéa, doutora em Artes, bailarina, documentarista e escritora. A São Paulo é uma Companhia de repertório, ou seja, realiza montagens de excelência artística, que incluem trabalhos dos séculos XIX, XX e XXI de grandes peças clássicas e modernas a obras contemporâneas, especialmente criadas por coreógrafos nacionais e internacionais.

A difusão da dança, produção e circulação de espetáculos é o núcleo principal de seu trabalho. A SPCD apresenta espetáculos de dança no Estado de São Paulo, no Brasil e no exterior e é hoje considerada uma das mais importantes companhias de dança da América Latina pela crítica especializada. Desde sua criação, já foi assistida por um público superior a 900 mil pessoas em 18 diferentes países, passando por mais de 150 cidades em mais de 1.100 apresentações e acumulando mais de 50 prêmios nacionais e internacionais.

Por meio do selo #SPCDdigital, criado em 2020, realizou mais de 50 espetáculos virtuais e transmissões de apresentações que somam mais de um milhão de visualizações.

Durante a temporada 2018/2019, foi eleita como melhor companhia de dança na França ao receber o Grand Prix de la Critique. No mesmo período, também recebeu o Critics’ Choice of Dance Europe como uma das melhores companhias de dança da temporada 2018/2019.

Sob fundo preto, seis bailarinas estão de costas, com vestidos em tons de laranja com comprimento no meio das coxas, os joelhos flexionados e o rosto de perfil para o público. Em primeiro plano, à direita, um bailarino de torso nu e calça bege salta arqueando o tronco e as pernas para trás, como se quisesse encostar a cabeça nos pés
Sob luz azulada, conjunto de bailarinas com tutus brancos estão no lado direito, com um dos braços erguidos. Ao centro, um cisne bloqueia o acesso do príncipe que está com uma besta na mão.
Anthem-scaled

Os Programas Educativos e de Formação de Plateia para a Dança, outra vertente de ação da SPCD, vêm no movimento da Companhia a cada cidade por onde ela passa e encontra pessoas que apreciam e praticam a arte da dança. Nas Palestras de Dança e nas Oficinas de Capacitação Técnica em Cadeia Longa temos a oportunidade de dialogar sobre os bastidores dessa arte. As Oficinas de Dança são um encontro para vivenciar o cotidiano dos bailarinos da SPCD. Nos Espetáculos Gratuitos para Estudantes e Terceira Idade e no programa Meu Amigo Bailarino, a proposta é de ver, ouvir e perceber o mundo da dança em contato com diversos públicos.

Por meio do Dança em Rede, uma enciclopédia de dança online e colaborativa disponível no site da Companhia, mapeamos a dança de cada cidade por onde a SPCD passa. Você pode conhecer mais sobre as histórias do balé no Podcast Contos do Balé. A Companhia também promove espaços onde interessados na arte da dança podem compartilhar experiências. Assim surgiu o Seminário Internacional de Dança, que visa abordar a prática da dança em diferentes perspectivas, e o Ateliê Internacional São Paulo Companhia de Dança, evento que proporciona um ambiente de arte, permitindo um estudo teórico-prático de técnicas de dança.

A dança tem muitas histórias, e para revelar um pouco delas a Companhia criou a série de documentários Figuras da Dança, que apresenta a história desta arte contada por quem a viveu. Os episódios podem vistos nos canais Arte 1, Canal Curta! e TV Cultura e no canal da SPCD no Youtube. A série conta hoje com 40 episódios. E, para revelar os bastidores dos processos criativos, a Companhia já produziu sete documentários; além de uma série de videodanças que revelam perspectivas singulares da dança em diálogo com o cinema, a arquitetura, a música. A SPCD também publicou sete livros de ensaios, além de documentários para professores e outros que registram os bastidores da sua ação.