Dança em Rede

Eleonóra Oliosi

  • Categoria: Profissionais da dança
  • País de origem: Brasil
  • UF de origem: RS
  • Cidade de origem: Pelotas
  • Atividade: Maître de Ballet
  • Data de nascimento: 28/07/1939

Histórico

Eleonóra demonstrou desejo de ser bailarina desde pequena. Esta vontade levou seus pais a trocarem a sua cidade do interior do Rio Grande do Sul pela capital, Porto Alegre. Ali, ela iniciou seus estudos de ballet pelas mãos da mestra Tony Seitz Petzhold.

Por indicação de sua professora, mudou-se para o Rio de Janeiro e concluiu sua formação na Escola de Dança Clássica do Theatro Municipal do Rio de Janeiro, atual Escola Estadual de Dança Maria Olenewa.

Ê ex-Primeira Bailarina do Corpo de Baile do Theatro Municipal do Rio de Janeiro. Foi vencedora do Troféu Nijinski, no Rio de Janeiro, ganhou o 2º Lugar no 1º Concurso Internacional de Dança (RJ) e recebeu Menção Honrosa no 1º Concurso Internacional de Varna, na Bulgaria.

Eleonora foi a primeira bailarina brasileira a ser reconhecida e premiada em festivais internacionais.

Já foi agraciada com a medalha “Mérito da Dança”, concedida pelo CBDD, órgão pertencente ao Conséil Internacionel de La Danse, vinculado a UNESCO.

Links









(Liana Vasconcelos | SPCD Pesquisa) 316

Videografia

Chorinho(1964) - Coreografia de Helba Nogueira, estrelada por Eleonóra Oliosi e Aldo Lotufo.
http://www.youtube.com/watch?v=nmvDsmnJrqw
"""

Trabalhos

1944 – inicia seus estudos de ballet com a professora Tony Seitz Petzhold.
1952 – após exame é aprovada para ingressar na Escola de Dança do Theatro Municipal do Rio de Janeiro(TMRJ).
1952 – aos 13 anos se tornaria a mais jovem bailarina do grupo Ballet da Juventude e, um de seus mais destacados elementos, segundo crítica da época.
1955 – ingressa por concurso no Corpo de Baile do TMRJ e continua paralelamente cursando a Escola de Dança do TMRJ.
1957 – é promovida a solista do Corpo de Baile do TMRJ e recebe o título de melhor bailarina clássica do ano.
1959 – promovida a primeira bailarina pela então diretora do Corpo de Baile - Sra. Tatiana Leskova.
1961 – Primeiro Concurso Nacional de Ballet – promoção O GLOBO e revista QUERIDA, tendo como partner o primeiro bailarino David Dupré. Dançaram o
pas-de-deux de Don Quixote e ambos conquistaram o primeiro lugar e o troféu Nijinski .
No mesmo ano, a revista O CRUZEIRO junto com a Associação Carioca de Arte lança o primeiro Concurso Internacional de Ballet do Rio de Janeiro, com aproximadamente 40 bailarinas inscritas de todo o mundo. Eleonóra, única brasileira e sul americana a se classificar entre as 15 finalistas, vai a final competindo com: Erika Zlocha – do Corpo de Baile de Viena, Mariana Hilaridis primeira bailarina do Ballet da Holanda, Alicia Boninesko – da Polônia e Marta Dretenerova primeira bailarina do Ballet Russo de Praga, que conquistou o primeiro lugar. Eleonóra havia se inscrito com uma única finalidade - conquistar o Prêmio Especial oferecido pela Divisão e Cultura do Itamaraty, que daria a melhor bailarina brasileira classificada, uma bolsa de estudo em local escolhido pela candidata, no exterior. Conquistou o segundo lugar.
1962 – Viaja para Paris onde aconselhada pela mestra Tatiana Leskova faz aula com Mme.Lubov Egorova e entre os companheiros de aula, estavam Marjorie Tallchief, George Skibine, Nina Virubova.
-Cursa História da Civilização Francesa na Universidade de Sorbonne em Paris.
1964 – Recebe convite oficial do Itamaraty e segue para Bulgaria onde representa o Brasil no 1º Concurso Internacional de Varna. O júri do Concurso era presidido por Galina Ulanova, seguido de Sir Frédéric Ashton, Dame Margot Fonteyn, Roland Petit e Maurice Bejart.
Com poucos ensaios, pois Eleonóra havia preparado apenas variações, tendo como “partner” Anton Stoikov primeiro bailarino da Ópera da Sofia, que não concorria, apresentou o pas-de- deux “Don Quixote” e “Aguas Primaveris”.Ao final: “Menção Honrosa” para Eleonóra Oliosi.
Mesmo tendo recebido muitos convites para se apresentar em tournée pela Europa, machucada teve que voltar ao Brasil.
1965 – De volta ao seu posto de primeira bailarina do TMRJ, nos anos seguintes dança todo o repertório clássico da companhia onde se destaca o Pas-de- deux de Romeu e Julieta coreografado pela mestra Maryla Gremo.
1966 – Homenageada em Pelotas, sua cidade nata,l em espetáculo do TMRJ sob direção de Helba Nogueira.
1968 – Dança no Teatro Trindade de Lisboa - sendo uma das estrelas do TMRJ a se apresentar no “Espetáculo de Gala” sob o comando da então diretora do Corpo de Baile Helba Nogueira.
1969 - participa como convidada da Companhia Brasileira de Ballet, criada por iniciativa do armador Paulo Ferraz, tendo na direção artística Gianni Ratto e Fernando Pamplona. Denis Gray cria para ela o pas-de -deux Carnávalia – Variações de Dança em Ritmos Brasileiros.
1975 – Inicia uma nova etapa da sua carreira: é convidada para dirigir a Escola de Ballet do Teatro Castro Alves – EBATECA. Continua atuando como bailarina tendo como partner Aldo Lotufo, par constante nas temporadas do TMRJ. Após três anos retorna ao RJ.
1978 – Convidada por Eugenia Feodorova, uma das mestras mais influentes em sua carreia, dá continuidade ao seu reconhecido talento como professora, aceitando dar aulas na Academia Eugenia Feodorova.
1982 – Junto a Fundação Brasileira de Ballet – despede-se dos palcos sob a direção de Eugenia Feodorova, em temporada no Teatro Tereza Rachel, com o ballet :As Quatro Estações. Como partner o promissor conterrâneo gaúcho Celio Trigo.
1983 - Morando na cidade paulista de São José dos Campos, inaugura a Academia de Ballet Eleonóra Oliosi
1985 – Forma o grupo Ballet Jovem Eleonóra Oliosi. Sempre tendo como convidados a presença de renomados bailarinos, remonta para o grupo tradicionais ballets clássicos. Mas cria também sua versão para obras como Floresta Amazônica e A Sagração da Primavera.
2000 – Após 18 anos de intenso trabalho na cidade São José dos Campos, onde concretizou o sonho de uma jovem geração amante do ballet clássico, retorna ao Rio de Janeiro.
Neste mesmo ano assume a coordenação do ballet clássico no Centro de Arte Nós da Dança, núcleo dirigido por Regina Sauer e Fernando Filetto.
2006 – Convidada, deixa registrada sua carreira em depoimento à FUNDAÇÃO MUSEO IMAGEM e do SOM - MIS.
2010 – Após dez anos junto ao Centro de Arte Nós da Dança, resolve aposentar-se das atividades cotidianas.
2012 – Homenageada pelo seu trabalho e relevância no VII Festival Internacional de Dança de Cabo Frio.RJ

Atualmente dá aulas como convidada em Festivais, onde atua também como jurada.
X