Eliana Caminada

  • Categoria: Profissionais da dança
  • País: Brasil
  • UF: RJ
  • Cidade: Rio de Janeiro
  • Atividade: Artista da Dança
  • Atividade: ministra palestras
  • Atividade: participa de debates sobre dança
  • Data de nascimento: 16/05/1947

Conteúdo

Eliana Maria Cavalcante, conhecida como Eliana Caminada graduou-se pela Escola de Danças Maria Olenewa e teve como primeira professora Sandra Dieken. Ainda menina, estudou com Tatiana Leskova e, sob sua permanente orientação, profissionalizou-se. Seu marido, o bailarino, coreógrafo e diretor Eric Valdo também teve papel fundamental no desenvolvimento de sua carreira e da maneira como viveu para a dança. Foi bailarina-solista do Corpo de Baile do Theatro Municipal do Rio de Janeiro, de 1963 a 1978, sua principal referência profissional, onde construiu sua carreira e dançou de conjunto a primeiros papéis. Foi primeira-bailarina do Balé Guaíra entre 1978 e 1979, bailarina solista contratada pela Bayerishe Staats Opera, e bailarina convidada em importantes galas e iniciativas particulares em todo o Brasil.
No Theatro Municipal do Rio foi dirigida por famosos maîtres-de-ballet e coreógrafos, como William Dollar (1907-1986), Tatiana Leskova, Eugenia Feodorova (1925-2007), Jorge Garcia, Oscar Araiz. Dançou ao lado de grandes bailarinos, entre eles, Fernando Bujones, Marcelo Misailidis, Fernando Mendes, Eric Wenes, Jair Moraes, Gregory Ismailov, Othon da Rocha Neto. Destaca desse tempo sua longa parceria com Aldo Lotufo. Na Companhia Brasileira de Ballet de Paulo e Regina Ferraz, trabalhou sob a direção de Arthur Mitchell, Richard Cragun (1944-2012) e Ismael Guiser (1927-2008).
Já ministrou palestras e cursos na Escola da Magistratura do Estado do Rio de Janeiro, no Theatro Municipal do Rio de Janeiro, na Escola Estadual de Danças Maria Olenewa, no Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro, no Centro Cultural Banco do Brasil, no Festival de Dança de Joinville, na PUC de São Paulo, entre outras instituições importantes.
Tem vários livros editados e escreveu artigos sobre dança em jornais e sites especializados. Integrou o Conselho Artístico do Festival de Dança de Joinville no período 2007/2009. Lecionou balé clássico na Escola de Estadual de Danças Maria Olenewa, no curso profissionalizante do Centro de Danças Rio e foi docente nas cadeiras de História da Dança, Repertório e Balé Clássico no curso superior de dança do Centro Universitário da Cidade. Foi homenageada pela categoria em 1994, por ocasião de sua despedida dos palcos e, ao lado de Eric Valdo, pela UERJ, em 2005, entre outras. Recebeu a Medalha da Unesco/Conselho Brasileiro da Dança por relevantes serviços prestados.


Links

www.elianacaminada.net

“Eliana Caminada ou “A menina dos olhos de esmalte”, de Manoel Francisco em:
lojaanabotafogo.com.br/eliana-caminada-ou-a-menina-dos-olhos-de-esmalte/#.
U5YNSZRdXF8


Coluna “Por dentro da dança”:
www.portaldafamilia.org/artigos/artigo218.shtml


(Por Flávia Fontes Oliveira l Pesquisa SPCD)" 212

Bibliografia

LIVROS E ENSAIOS PUBLICADOS

CAMINADA, Eliana. História da Dança – Evolução Cultural. Rio de Janeiro: Sprint, 1999.

CAMINADA, Eliana. “Considerações sobre o método Vaganova”. In: PEREIRA, Roberto e SÓTER, Silvia (orgs.), Lições de Dança 1. Rio de Janeiro: UniverCidade Editora, 1999.

CAMINADA, Eliana. Maryla Gremo – Fogo sagrado. Faperj/Fundação Theatro Municipal do Rio de Janeiro, 2001.

CAMINADA, Eliana. Vaslav Veltchek – O Escultor de destinos. Faperj/Fundação Theatro Municipal do Rio de Janeiro, 2001.

CAMINADA, Eliana. Yuco Lindberg – Uma irresistível vocação. Faperj/Fundação Theatro Municipal do Rio de Janeiro, 2001.

CAMINADA, Eliana. “A montagem de ballets de repertório no Brasil”. In: HELDEN, Maria Waleska van e FREIRE, Ana Luíza (orgs.). Nos anais do Condança. Porto Alegre: Asgadan, 2002.

ARAGÃO, Vera E CAMINADA, Eliana. Programa de Ensino de Ballet – Uma proposição. Rio de Janeiro: UniverCidade Editora, 2006.

CAMINADA, Eliana. “Não tenho qualquer lembrança da vida sem ballet ou como me tornei professora de História da Dança” In: PEREIRA, Roberto, MEYER, Sandra e NORA, Sigrid (orgs.). História em Movimento – biografias e registros em dança. Caxias do Sul: Festival de Dança de Joinville, 2008.

CAMINADA, Eliana. Figuras da Dança – Tatiana Leskova. São Paulo: São Paulo Companhia de Dança, 2008.

CAMINADA, Eliana. Texto de apresentação de Movimentos – Theatro Municipal do Rio de Janeiro.
PONTUAL, Henrique e LINS, Adriana. Rio de Janeiro: Theatro Municipal do Rio de Janeiro, 2009.

CAMINADA, Eliana. “Balanchine: entre a tradição e a ruptura”. In: BOGÊA, Inês (org.). Terceiro Sinal, Ensaios sobre a São Paulo Companhia de Dança. São Paulo: São Paulo Companhia de Dança, 2011.










Videografia

Participação destacada no filme Chorinho, estrelado por Eleonora Oliosi e Aldo Lotufo, com música de Marlos Nobre e coreografia de Helba Nogueira. O filme, realizado nos estúdios da Atlântida, fez parte de um documentário sobre o balé no Brasil apresentado no Festival de Nervi (Itália), 1964.

https://www.youtube.com/watch?v=nmvDsmnJrqw

Palestra de Eliana Caminada “O Ballet do Theatro Municipal começou aqui” em:
www.youtube.com/watch?v=DAAT0JSF2N4

Balés Russos, impressões cem anos depois:
www.youtube.com/watch?v=JBlpIF6BmkQ

Escultura de Pedro Dantas Riso em homenagem a Eliana Caminada:
www.pedrodantasriso.com/galeria/eliana_caminada/




"

Trabalhos

1947 Em 16 de maio, no Rio de Janeiro, nasce Eliana Maria Vieira Boamorte, fi lha do professor de inglês Augusto Elpídio Boamorte (1916-1966) e de Myriam Vieira Boamorte (1921-2007);
1952 Inicia os estudos de balé com Sandra Dieken, prosseguindo-os com Dina Nova, Nina Verchinina (1912-1995) e Tatiana Leskova, com quem estudará a vida inteira;
1962 Ingressa na Escola de Danças Clássicas do Theatro Municipal do Rio de Janeiro (TMRJ), atual Escola Estadual de Dança Maria Olenewa, onde estuda com Renée Wells (1925-2007), Consuelo Rios (1923-2010), Luiza Barreto Leite (1909-1996) e Lydia Costallat, formando-se em 1964; 1963 Por concurso público, ingressa em segundo lugar no Corpo de Baile do TMRJ, não podendo ser efetivada por ser menor de idade;
1965 Ê efetivada no Corpo de Baile do TMRJ por concurso público, tendo obtido o primeiro lugar;
1966 No Rio de Janeiro, atua como bailarina convidada do Ballet d’Aldeia e do Ballet da Rádio MEC, dançando Juventude, de Gerry Maretzki;
1967 Em 4 de janeiro, casa-se com Eric Valdo (Erivaldo Cavalcante), também bailarino doTMRJ. Em 18 de outubro, nasce Roberto, o fi lho do casal;
1968 Presta audição para a Companhia Brasileira de Ballet (CBB), sediada no Teatro Novo(RJ), e sua contratação é aprovada pelo bailarino americano Arthur Mitchell, maître de ballet (mestre de balé) e coreógrafo da companhia;
1969 Passa a atuar como professora assistente de Tatiana Leskova na disciplina técnica de dança clássica, na Escola Municipal Parque de Recreação Darcy Vargas (RJ);
1970 Na Academia Tatiana Leskova (RJ) dança o primeiro balé criado para ela, por Eric Valdo: Concerto para Oboé, de Cimarosa (1749-1801). A partir daí, o coreógrafo criará para Eliana os trabalhos Pas Romantique (1976) e Grand Pas, de Minkus (1978), dançados em turnê do TMRJ; Estudos (1978); Homenagem a Pattapio (1978); e Valse (1978), no Balé do Teatro Guaíra. Leciona técnica de dança clássica por três anos consecutivos na Escola Estadual de Dança Maria Olenewa. Gradua-se como Student Member da Royal Academy of Dancing (RAD), título obtido nos exames fi nais do curso elementary, realizado na Academia Dalal Achcar (RJ), obtendo a mais alta classifi cação;
1972 Deixa a Escola Municipal Parque Darcy Vargas;
1973 Ê paraninfa da turma de formandos da Escola Estadual Maria Olenewa. Gradua-se Member da RAD, após ter prestado exame no curso intermediário, em 24 de agosto. Novamente, obteve a mais alta classifi cação nos exames fi nais. Sob a supervisão de Tatiana Leskova, conclui o curso de nível avançado da RAD. Como bailarina convidada, dança ao lado de Aldo Lotufo (1925-2014) a cena do balcão do Romeu e Julieta de Prokofi ev (1891-1953), com montagem de Eric Valdo. A produção é apresentada pelo grupo Teatro do Movimento, de Angel e Klauss Vianna (1928-1992), no Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro (MAM Rio);
1974 Ê contratada como solista pelo Ballet da Ópera Estatal da Baviera (Bayerische Staatsoper), em Munique. No entanto, devido a problemas de saúde, não pode assumir, retornando ao Brasil;
1976 A convite de Eugenia Feodorova (1925-2007) e Emílio Martins (1932-2014), dança com a Fundação Brasileira de Ballet, ao lado de Martins;
1978 Em Curitiba (PR), assume o posto de primeira-bailarina da Fundação Balé Guaíra, para o biênio 1978-1979;
1980 Volta a lecionar na Escola Estadual de Dança Maria Olenewa, onde permanece por mais três anos;
1981 Dança o balé Les Sylphides, ao lado de Ceme Jambay, com a Escola Estadual de Dança Maria Olenewa. Durante nove anos, ministra aulas tanto de técnica de dança clássica, quanto de repertório, no curso de qualifi cação profi ssional de bailarino do Centro de Dança Rio (RJ). Assume a posição de primeira-bailarina da Companhia de Dança Rio, do Centro de Dança Rio. Dança O Corsário, com Fernando Mendes (1962-1992), no Novo Ballet da
Juventude, na Sala Cecília Meireles (RJ). Dança Coppélia, de Hugo Delavalle, com Gregory Ismalov;
1982 Com Eric Wenes, dança Flower Festival in Genzano, nos 30 anos da criação da Academia de Ballet Tatiana Leskova. Dança Coppélia, de Hugo Delavalle, com Fernando Bujones (1955-2005). Estreia Giselle com remontagem de Eric Valdo com a Companhia de Dança Rio, onde atua até 1986;
1989 Na Universidade Federal Fluminense (UFF), profere a palestra A Dança no Cinema. Em Caxias do Sul (RS), ministra aulas de técnica de dança clássica para o Grupo Raízes. No grupo DC (RJ), remonta o pas de deux do balé Spartacus, para Ana Botafogo e Paulo Rodrigues;
1990 Integra o júri do Festival Internacional do Conselho Brasileiro da Dança (CBDD), realizado no Teatro Odylo Costa Filho (RJ). Na Companhia de Dança Rio, remonta o balé Giselle, para Norma Pinna e Marcelo Misailidis. No bairro carioca do Flamengo ministra, durante dois anos, aulas de técnica de dança clássica para o projeto social Casa das Meninas;
1991 Remonta o balé Homenagem a Pattapio, de Eric Valdo, para Karin Schlotterbeck e César Lima e, posteriormente no mesmo ano, para Regina Ribeiro e César Lima, bailarinos do TMRJ. Na Associação Pró-Arte Cultura de Campos (RJ), profere palestra com o tema Como Elaborar um Programa Eclético;
1992 Dança em turnê, durante um ano, com Ballet Alternativo do Rio de Janeiro, tendo como partners Marcelo Misailidis e Jair Moraes;
1994 No Teatro Delfi m (RJ), é homenageada pelos colegas em sua despedida dos palcos. A gala, organizada pelo bailarino Antonio Bento, conta com a participação dos principais bailarinos do TMRJ e de grupos com os quais Eliana Caminada se apresentou no Brasil;
1995 No Teatro Carlos Gomes (RJ), dirige junto com Eric Valdo o espetáculo que homenageia a primeira-bailarina do Ballet de Stuttgart (Stuttgarter Ballett), a brasileira Beatriz de Almeida. Para o espetáculo, remonta o pas de deux de Romeu e Julieta, de Eric Valdo, para Norma Pinna e Hélio Bejani e o grand pas do balé Paquita, para a própria Beatriz de Almeida e Marcelo Misailidis. No Teatro da UniverCidade (RJ), unidade Ipanema, organiza seminário sobre a obra de Léonide Massine (1895-1979), com a participação de ex-bailarinos
do TMRJ que trabalharam com o coreógrafo, como Helga Loreida, Alda Marques, Armando Nesi (1931-2008), Edmundo Carijó (1925-2009), Rojan Cavina, Aldo Lotufo, Dennis Gray (1928-2005) e Eric Valdo. Em virtude de seu crescente interesse por história da dança, é indicada por Angel Vianna para lecionar essa disciplina no curso de licenciatura em dança da Faculdade da Cidade, posteriormente Centro Universitário da Cidade – UniverCidade, até 2007. Durante um ano atua como consultora ad hoc da Fundação Capes no âmbito do Programa Apartes, do Ministério da Cultura (em Brasília e São Paulo);
1996 Na UniverCidade é patrona da sua primeira turma especialmente formada para os bailarinos do TMRJ . Junto com Eric Valdo, remonta para Norma Pinna e Antonio Bento o balé Anyuta, para a gala que homenageia a pedagoga e coreógrafa Eugenia Feodorova no Teatro João Caetano (RJ);
1997 Ministra a disciplina história da dança no curso de formação de bailarinos do Colégio de Dança de Fortaleza (CE), dirigido por Flávio Sampaio;
1998 Integra o júri do Festival Internacional do CBDD. Ê mediadora e palestrante no seminário A Dança no Estado do Rio de Janeiro, organizado pela professora Vera Lopes, no Teatro Cacilda Becker (RJ). Na Cinemateca do MAM Rio, compõe a mesa-redonda da mostra As Estrelas da Dança do Brasil no Cinema. Participa do júri do Troféu Mambembe Dança, da Funarte/ MinC. O ano de 1998 marca o início de Eliana Caminada nas crônicas e críticas analíticas, contribuindo para o encarte “AN Festival”, do jornal A Notícia, de Joinville (SC), por ocasião dos Festivais de Dança de Joinville;
1999 Lança o livro História da Dança: Evolução Cultural (Editora Sprint, Rio de Janeiro). Na primeira da série de publicações Lições de Dança, da UniverCidade, contribui com o artigo “Considerações sobre o Método Vaganova”. Ingressa no jornal Dança, Arte & Ação como crítica e comentarista de dança, assinando a “Coluna da Caminada”. Ê contratada como professora do curso de bacharelado em dança da Universidade Castelo Branco (RJ),
permanecendo até 2001. Atua no Grupo Alternativo do Rio, remontando uma suíte do balé Raymonda , junto com Eric Valdo, para Norma Pinna. Com Vera Aragão organiza o evento comemorativo Os 40 anos de O Lago dos Cisnes nas Américas, na Escola da Magistratura do Estado do Rio de Janeiro (Emerj), onde também profere palestra sobre o tema Grandes Potências da Dança Cênica do Século XX. Integra o júri do XI Festival de Dança do Rio de Janeiro – Tápias, realizado no Teatro Odylo Costa Filho. Ê representante do Rio de Janeiro na Comissão do Prêmio Rio Dança 1999, da Rioarte e Secretaria de Estado de Cultura, na seleção dos melhores do ano. No evento Sob as Luzes Douradas, organizado por Tamara de Mello e Souza na Casa de Cultura da Universidade Estácio de Sá (RJ), profere palestra sobre o início da dança no TMRJ;
2000 Integra o júri do Festival Internacional do CBDD, no Teatro Odylo Costa Filho, é homenageada pelo professor e bailarino Cláudio Figueira no evento Clássicos em Noite de Gala e pela professora Alice Arja durante o 1º Festival de Dança do Mercosul, no Teatro Carlos Gomes. Na Emerj, profere palestra sobre o tema Ballet no Brasil, Uma Tradição Carioca?. No Centro Cultural Oduvaldo Vianna Filho (RJ), profere série de quatro palestras com o temabase Da Grécia ao Romantismo – E o Corpo Recupera a Liberdade. Faz parte do júri do Festival de Dança Spinelli, no Teatro Odylo Costa Filho. Assina o artigo “Bolshoi, Grande como Sua Arte” para a publicação mensal da Escola do Bolshoi no Brasil ( Joinville), onde participa da banca avaliadora de candidatos à admissão;
2001 Colabora com a Série Memória (Faperj/Fundação TMRJ) assinando três trabalhos biográfi cos: Maryla Gremo – Fogo Sagrado; Vaslav Veltchek – O Escultor de Destinos; e Yuco Lindberg – Uma Irresistível vocação. Ministra curso de história da dança na 2ª Mostra Corumbá Santuário da Dança, em Corumbá (MS) e no 19º Festival de Joinville. Durante três anos é coreógrafa e professora das disciplinas história da dança e técnica de balé clássico do projeto social Mitos da Infância e da Adolescência, do Centro de Artes Calouste Gulbenkian, da prefeitura do Rio de Janeiro;
2002 Integra o júri do 2º Festival de Dança de Goiânia, do Festival Corpo Livre (realizado no Teatro Odylo Costa Filho) e do 20º ao 28º Festival de Dança de Joinville, nas especialidades balé clássico e balé clássico de repertório. Na 20º edição do festival é homenageada com escultura de Pedro Dantas - inspirada em sua atuação no balé Coppélia –, e atua como mediadora no seminário Memória da Dança Brasileira, contando com as presenças de Tatiana Leskova, Dalal Achcar e Ismael Guiser (1927-2008). No Congresso de Dança do Rio Grande do Sul (Condança), em Porto Alegre (RS), profere palestra sobre o tema A Montagem de Ballets de Repertório no Brasil, publicada nos anais do Condança. Ministra curso de história da dança no 3º Encontro de Dança de Belém (PA), no Theatro da Paz;
2003 Ê eleita presidente da Associação de Bailarinos da Companhia de Ballet da Cidade de Niterói (CBCN). Atua como mediadora na palestra A Montagem de Ballets de Repertório no Brasil, durante o Festival Porto Alegre em Dança, na Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUCRS). Integra o júri do Festival Internacional do CBDD, no Teatro Odylo Costa Filho;
2004 Prefacia o livro Jane Blauth (Editora Movimento, Porto Alegre) de Ana Luiza Freire sobre a bailarina gaúcha Jane Blauth (1937-2012). No Rio de Janeiro, a convite da Dell’Arte Promoções Artísticas, profere a palestra Os Rumos da Dança Moderna, no Centro Cultural Banco do Brasil (CCBB). Na Uerj, Eliana Caminada e Eric Valdo são homenageados por mestres, companheiros e amigos na gala que se realiza no Teatro Odylo Costa Filho;
2006 Em coautoria com Vera Aragão, publica o livro Programa de Ensino de Ballet – Uma Proposição (UniverCidade, Rio de Janeiro);
2007 No 25º Festival de Joinville, profere a palestra O Ballet no Theatro Municipal do Rio de Janeiro. Em cerimônia apresentada por Ana Botafogo na escola Mabe (RJ), é homenageada pela professora Jô Fontes e pelos demais bailarinos do TMRJ e do Teatro Arthur Azevedo (Niterói) que cursaram o curso de licenciatura plena em dança da UniverCidade. Foi paraninfa da turma especialmente formada por bailarinos do TMRJ;
2008 Atua como membro do Conselho Artístico do Festival de Joinville. Também no âmbito do Festival, nos cadernos dos Seminários de Dança – História em Movimento, publica “Não Tenho Qualquer Lembrança da Vida sem Ballet – Ou de Como Me Tornei professora de História da Dança”;
2009 Permanece como membro no Conselho Artístico do Festival de Joinville. Colabora com a série Figuras da Dança, da São Paulo Companhia de Dança (SPCD), escrevendo o artigo biográfi co “Tatiana Leskova – Com a Dança no Sangue”;
2010 Junto com Eric Valdo é homenageada no Festival de Dança de Cabo Frio (RJ). Escreve a apresentação do livro Movimentos, de Adriana Lins e Henrique Pontual, publicado pelo Governo do Estado do Rio de Janeiro;
2011 Assina o ensaio “Balanchine: entre a tradição e a ruptura”, para o livro Terceiro Sinal, com organização de Inês Bogéa, publicado pela Secretaria da Cultura do Governo do Estado de São Paulo;
2012 Apresenta a palestra Os 85 anos da Escola Estadual de Dança Maria Olenewa, na sede da instituição;
2013 Atua como palestrante convidada no simpósio Ballet para a Vida, do projeto de intercâmbio entre o TMRJ e a Royal Opera House (Londres);
2014 Da continuidade às suas pesquisas na arte da história da dança.
X