Lya Bastian Meyer

  • Categoria: Profissionais da dança
  • País: Brasil
  • UF: RS
  • Cidade: Porto Alegre
  • Atividade: Coreógrafa
  • Atividade: Professora

Conteúdo

Eliane Clotilde Bastian Myer Schimitz, nasceu em 23 de janeiro de 1911 e sempre foi mais conhecida pelo seu nome artísitico, Lya Bastian Meyer. Era filha única de Oscar Bastian Meyer e de Clotilde Nuderitz Meyer. Sua vida está ligada ao desenvolvimento da dança artística no Rio Grande do Sul. Aluna do Instituto de Cultura Física, em 1928, aos dezessete anos, embarca para Alemanha para estudar balé. Foi aluna de Eugénie Eduardowa, bailarina russa radicada em Berlim, de Rita Pokst, professora da Wiesbaden e de Tatiana Gsowski, coreógrafa russa também residente em Berlim. Em 1930 retorna a Porto Alegre e ao Instituto de Cultura Física, agora como professora. Lá, cria, junto com Mina Black e Nenê Bercht, o espetáculo a “Lenda da Princesa Moura”, no qual são apresentadas algumas coreografia em sapatilhas de ponta. Em 1932, deixa o Instituto de Cultura Física, para fundar a sua escola, a “Escola de Bailados Clássicos Lya Bastian Meyer”. Em 1933, Lya se casa com Henrique H. Schimitz. Retorna à Alemanha em 1938, estudando em Berlim na Meister Sttate Für Tanz, a qual oferecia Cursos de dança em nível universitário. Estuda também com Mary Wigman, incorporando a seu trabalho princípios da dança de expressão. Nessa estada, apresenta coreografias solo como “A dança do fogo”, do balé “El amor brujo” e “Batuque”, criada a partir de música de Radmés Gnattali. Seus recitais receberam elogios de críticos alemães. De retorno a Porto Alegre, Lya retoma suas atividades na Escola de Bailados, montando espetáculos com a participação da Orquestra Sinfônica de Porto Alegre ou da Orquestra do Sindicato Musical.
Graduou-se em Educação Física pela Escola Superior de Educação Física, em 1940, passando a integrar seu corpo docente com professora de Rítmica, dando início a uma tradição de ensino da ginástica rítmica e da dança nessa Escola. Publicou, em 1944, o livro “Ginástica Rítmica: a moderna educação física e psíquica para a criança e a mulher”.
Em 1943 é criada a Escola Oficial de Dança do Theatro São Pedro, mantida pelo governo do Estado do Rio Grande do Sul, sob a direção de Lya Bastian Meyer, que foi fechada, por falta de verbas, em 1959.
Lya Bastian Meyer não foi somente pioneira da dança clássica no Rio Grande do Sul, mas também no Brasil. Por reconhecimento pelo seu trabalho, recebeu, em 1987, a medalha Mérito Artístico de Dança, oferecida pelo Conselho Brasileiro de Dança, vinculado ao Conseil international de la danse, UNESCO. Lya Bastian Meyer faleceu em 2005.

Bibliografia

MACHADO, Janete da Rocha. Lya Bastian Meyer: a grande dama do ballet clássico gaúcho. In: Anais do XI Encontro Estadual de História. 2012.
CUNHA, Morgada; FRANCK, Cecy. Dança: nossos artífices. Porto Alegre: Movimento, 2005.
DIAS, Carolina. Histórias do Instituto de Cultura Física de Porto Alegre (1928-1937). 2011. Dissertação (Mestrado em Ciências do Movimento Humano). – Escola de Educação Física, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2011.

Trabalhos

1933 – Coppelia
1937 – El amor brujo
1939 – La boutique fantasque
1940 – O acendedor de lampiões
1943 – Les Sylphides
1944 – Carnaval
1947 – A Maya
1948 – Joana D’Arc
1950 – Sinfonia clássica
1951 – Masquerade
1952 – Os cisnes selvagens
1953 – Ballet Blanc
1954 – Don Juan
1955 – Schérézade
1956 - Pequena serenata noturna
1958 – Petrouchka
X