Marilena Ansaldi

  • Categoria: Profissionais da dança
  • País: Brasil
  • UF: SP
  • Cidade: São Paulo
  • Atividade: Bailarina
  • Atividade: Coreógrafa
  • Data de nascimento: 04/11/1934

Conteúdo

Nascida em 4 de novembro de 1934, Marilena Ansaldi é natural de São Paulo, porém viveu sua infância e adolescência no Rio de Janeiro. Iniciou seus estudos em dança com Rafic Garzuzi, em 1950 e em 1951 ingressa no último ano da Escola Municipal de Bailado, onde estuda com Marília Franco (1923-2006) e, após dois anos, torna-se a primeira bailarina da Escola, além de ser efetivada como professora, função que desempenhará em diversos momentos ao longo de sua carreira.

Para complementar o salário da Escola de Bailado, em 1955, ingressa no teatro de revista na companhia de Nélia Paula (1930-2002), onde dança A Morte do Cisne.
Em 1962, viaja para a Finlândia para se apresentar no Festival da Juventude e recebe um prêmio especial por sua atuação, que inclui Procissão e O Canto do Cisne Negro, de Gil Saboya. Viaja para a União Soviética para se apresentar com outros artistas brasileiros. Ê admitida no último ano do Balé Bolshoi, onde tem aulas com Sulamith Messerer (1908-2004) e Galina Ulanova (1910-1998) e em 1963 torna-se solista da companhia. Retorna ao Brasil, em 1965, para a Escola Municipal de Bailado.

Ganha o prêmio de melhor bailarina clássica da Associação Paulista de Imprensa. Em 1966, sob a direção de Renée Gumiel (1913-2006), cria o Ballet de Câmara com Peter Hayden, Marika Gidali e Victor Aukstin.
Em 1967, faz aulas na escola de Halina Biernacka (1914-2005) e em 1969, cria a Sociedade Ballet de São Paulo, de Halina Biernacka, da qual é uma das diretoras. Participa do I Festival Paulista de Dança com Apollon Musagè te, de George Balanchine (1904-1983). Dança Concerto, também de Balanchine.

Em 1972, dá aulas de balé clássico em sua casa. Recebe o prêmio de melhor coreografia teatral da Associação Paulista de Críticos de Arte (APCA) por A Viagem, de Celso Nunes, em que também atua. Despede-se do balé clássico, em 1973, dançando O Corsário, de Gil Saboya. Atua como representante da área de dança no Conselho Estadual de Cultura.

Em 1974, coordena a reforma e adaptação do Teatro Galpão, que se torna espaço dedicado exclusivamente à dança, com patrocínio do Governo do Estado.Atua no processo de reestruturação do Corpo de Baile do Teatro Municipal de São Paulo. Trabalha ali como coreógrafa, criando Medéia e Cenas.

Ministra aulas para o Corpo de Baile do Teatro Municipal de São Paulo e recebe os prêmios Associação Paulista dos Críticos de Arte (APCA) de melhor atriz, Mambembe e Serviço Nacional do Teatro, por melhor espetáculo.

Em 1983, ministra cursos de dança-teatro na Bahia e em Minas Gerais. Em 1990, escreve a sua autobiografia, Atos, publicada em 1994 pela Editora Maltese. Em 1991, se afasta dos palcos pelos próximos 12 anos, motivada pelo excesso de trabalho ininterrupto. Retorna sua carreira em 2005, com Desassossego, com direção de Marcio Aurelio e roteiro seu. Em 2007, faz uma participação especial na peça A Metafísica do Amor, da Companhia Razões Inversas, com atuação de Paulo Marcello e direção de Marcio Aurélio.

Bibliografia

Documentário Marilena Ansaldi- Figuras da Dança | Direção Inês Bogéa e Antônio Carlos Rebesco | São Paulo Companhia de Dança, SP, 2008

Atos: Um Movimento na Vida e no Palco". São Paulo: Editora Maltese, 1994."

Videografia

http://www.youtube.com/watch?v=5kY0TiJs-r0

http://www.youtube.com/watch?v=cwLEYxfU0XU

http://www.youtube.com/watch?v=90k_b8SdREE


Trabalhos

1953 Com Gil Saboya, dança Sweet Mascarade, de Marília Franco.
1956 Ao lado de Michel Barbano, dança a ópera O Guarani. Atua em Copélia na TV Tupi.
1959 Recebe o prêmio Anna Pavlova de melhor bailarina do ano por Procissão, de Marília Franco.
1960 Dança Sansão e Dalila, de Marília Franco. Novamente ganha o Anna Pavlova.
1962 Com Wilson de Almeida e sob a direção de Klauss Vianna (1928-1992), atua em espetáculo em Belo Horizonte. Dança Chopiniana e Nocturne, de
Fokine (1880-1942), Don Quixote e Sonata nº 6, de Obukhov, Valse Triste e Romeo e Julieta, de Tatiana Gszovski e Romance em Fá, de Marília Franco,
entre outros;
1963 Em férias no Brasil, monta o espetáculo Francesca de Rimini, em que atua com Joshey Leão (1927-1983) e Wilson de Almeida, para o programa Concertos Matinais, da TV Tupi.
1964 Dança A Fonte de Bakhchisarai e Don Quixote no Bolshoi.
1965 Dança Schéherazade, de Marília Franco, e A Dama das Camélias, de sua autoria.
1966 Coreografa e dança Vestido de Noiva, um neoclássico baseado na peça de Nelson Rodrigues (1912-1980). Dança Leidy Macbeth, Forma Quatro, Huis Clos e Aranha, de Renée Gumiel e Movimentos e Linhas e Finale, de Victor Aukstin.
1967- Coreografa o musical Isso Devia Ser Proibido, de Walmor Chagas e Bráulio Pedroso (1931-1990).
1969 - Coreografa A Casa de Bernarda Alba, inspirada na peça homônima de Garcia Lorca (1898-1936), e Maria Stuart.
1970 Coreografa A Recusa, para o Ballet Stagium, O Quadrado, Por quê? e Spartacus, exibidos na TV Cultura.
1971 Com Antonio Carlos e Iracity Cardoso, Marilene Silva e Zilah Vergueiro, apresenta o espetáculo Dança Viva, com coreografia sua e de Antonio Carlos.
Em 1972 coreografa para as peças Memórias de um Sargento de Milícias, O Impacto e Fernando Pessoa.
1975 Começa a trabalhar uma linguagem para o teatro com a peça autobiográfica Isso ou Aquilo?, que tem direção de Iacov Hillel e roteiro co-escrito
com Emilie Chamie (1927-2000).
1976 Ao lado de Rodrigo Santiago (1943-99), atua no espetáculo Por Dentro / Por Fora, com argumento e textos de Mário Chamie, roteiro de Emilie Chamie e direção de Iacov Hillel.
1977 Dança no filme A Casa das Tentações, de Rubem Biáfora (1922-1996).
Apresenta o espetáculo Isso ou Aquilo? no Festival Mundial de Teatro de Nancy, na França e na Itália. Recebe o prêmio de melhor espetáculo individual por sua participação. Escreve e atua em Escuta, Zé!, inspirado no livro de Wilhelm Reich (1897-1957) com direção de Celso Nunes.
1978 Escreve o roteiro do musical 1707/839 – Leonardo La Ponzina, uma biografia do bailarino Lennie Dale (1934-94). Escreve, atua e produz a peça Fundo de Olho, com direção de Celso Nunes e atuações de Paulo Herculano, Zilah Vergueiro e Augusto Rocha.
1979 Apresenta Um Sopro de Vida, adaptação da obra de Clarice Lispector (1920-77) e com direção de José Possi Neto e coreografia de Victor Navarro.
1980 Escreve o roteiro, atua e produz o musical Geni, com texto de Chico Buarque e José Possi Neto, sob a direção de Possi. Remonta Escuta, Zé! e excursiona com a peça pelo interior de São Paulo.
1982 Apresenta Picasso e Eu, espetáculo que traz texto, concepção, cenografia, coreografia, trilha sonora, figurinos e interpretação seus, sob a direção de José Possi Neto. Escreve e atua no autobiográfico Jogo de Cintura,
apresentado no Teatro Galpão.
1983 Realiza a coreografia do musical Oh! Calcutta, com direção de Giba Um.
1984 Escreve, coreografa e atua em Se..., com direção de Luiz Roberto Galizia e atuação do bailarino Emílio Alves.
1985 Com Lennie Dale (1934-1994) coreografa e atua no musical Grand Finale, com texto e direção de Flávio de Souza. Atua na minissérie Rabo de Saia, da tv Globo.
1986 Atua na novela Selva de Pedra, da tv Globo
1987 Apresenta Hamletmachine, com texto de Heiner Müller (1929-95) e direção de Marcio Aurelio, que ganha o prêmio Moliè re.
1989 Adapta e atua em A Paixão Segundo G.H., da obra de Clarice Lispector (1920-1977), sob direção de Cibele Forjaz.
1991 Apresenta Clitemnestra, com direção de Antônio Araújo e texto de Marguerite Yourcenar (1903-97).
1995 Atua na novela Cara & Coroa, da TV Globo

Saiba mais sobre Marilene Martins, no texto e cronologia feitos para o livreto do Projeto Figuras da Dança, em: http://www.saopaulocompanhiadedanca.art.br/folhetos_figuras_da_danca.php


X