Outras Ações

SPCD de Portas Abertas

O projeto SPCD de Portas Abertas tem por objetivo trazer alunos de escolas de dança e interessados nesta arte para conhecer de perto as instalações da São Paulo Companhia de Dança em sua sede, no Bom Retiro. O encontro visa aproximar este público do dia-a-dia de uma companhia profissional.

Mediante agendamento prévio, a instituição visitante tem a possibilidade de assistir a ensaios, participar de uma aula/oficina de dança exclusiva com os professores da Companhia e conversar com a equipe artística.

Devido à pandemia do novo coronavírus (COVID-19), esta atividade está suspensa.

Para saber mais sobre mais o programa, entre em contato clicando aqui.

Intercâmbios com Projetos Sociais

Visando a democratização da cultura e a experimentação na área da dança, a São Paulo Companhia de Dança realiza intercâmbio educacional e cultural com projetos sociais. Esta atividade possibilita a troca de experiências entre jovens aprendizes desses projetos e bailarinos profissionais por meio de aulas, encontros com bate-papos, distribuição de ingressos para espetáculos da Companhia e doação de sapatilhas.

Devido à pandemia do novo coronavírus (COVID-19), esta atividade está suspensa.

Para saber mais sobre mais o programa, entre em contato clicando aqui.

Seminário Internacional de Dança

Entre os dias 15 e 17 de agosto de 2013, a São Paulo Companhia de Dança realizou o 1º Seminário Internacional de Dança com foco em discutir essa arte em suas diferentes frentes, como produção de companhias internacionais, programação e atividades de formação de plateia. A ação englobou conferências, mesas redondas, encontros temáticos e espetáculos de dança de companhias profissionais.

O 1º Seminário Internacional de Dança aconteceu na sede da SPCD, no Sesc Bom Retiro e na Oficina Cultural Oswald de Andrade. Foi uma realização do Governo do Estado de São Paulo, Secretaria de Estado da Cultura, Associação Pró-Dança e São Paulo Companhia de Dança, com correalização do Sesc São Paulo, da Universidade Estadual Júlio de Mesquita Filho (Unesp) e apoio institucional da Oficina Cultural Oswald de Andrade.

Ateliê Internacional SPCD

Voltado para bailarinos pré-profissionais e profissionais, professores e estudantes de jornalismo e fotografia, o  Ateliê Internacional São Paulo Companhia de Dança dá continuidade às atividades de pesquisa, fomento e formação de profissionais da dança e tem por objetivo promover um estudo teórico-prático de técnicas de dança (clássica e contemporânea) e de métodos necessários à formação do bailarino atualmente, buscando dar acesso a técnicas e práticas corporais com mestres de renome nacional e internacional.

A participação no Ateliê é gratuita mediante inscrição e seleção, realizada por uma comissão da SPCD.

O 3° Ateliê Internacional São Paulo Companhia de Dança, aconteceu entre os dias 30 de outubro e 5 de novembro de 2017, no Auditório Claudio Santoro e na área do Museu Felícia Leirner (Av. Dr. Luís Arrobas Martins, 1880 – Alto Boa Vista), em Campos do Jordão (SP). O Ateliê teve patrocínio de O Boticário Na Dança, Escala 7 Editora Gráfica e Vedacit, com parceria com Instituto CPFL e ACAM Portinari (Associação Cultural de Apoio ao Museu Casa de Portinari), e apoio da Capezio.

Durante cinco dias, os bailarinos selecionados se dividiram em dois grupos distintos para aulas de Balé Clássico, Dança Contemporânea e Jazz, e participarão de processos coreográficos.

Todas as aulas e processos de trabalho puderamm ser vistos pelo público em geral. No dia 3 de novembro (sexta-feira), os estudantes fizeram uma performance no jardim das esculturas do Museu Felícia Leirner. E, no mesmo dia, o Núcleo de Dança da Fundação Lia Maria Aguiar fez a abertura da noite com a coreografia Transcendente, de Carolina Nemeth e Fabiana Nemeth e em seguida a São Paulo Companhia de Dança, dirigida por Inês Bogéa, apresentou as coreografias Suíte de Raymonda (2017), de Guivalde de Almeida (1971-2020) a partir do original de 1898 de Marius Petipa (1818-1910) e Gnawa (2005), de Nacho Duato.

No dia 4 de novembro (sábado), alunos das escolas de dança Vanessa Ballet e Expressão em Movimento fizeram a abertura da noite com as coreografias Le Grand Valse, de Vanessa Ellias e Shiva Nataraja, de Silvana Santos, respectivamente. Em seguida, o público pôde ver os resultados dos processos coreográficos realizados pelos jovens bailarinos no Ateliê. Uma noite especial na qual todos os participantes estiveram juntos na cena. Já os estudantes de jornalismo e de fotografia, vivenciaram a rotina de uma redação impressa acompanhados do orientador, que organizou as pautas e os prazos para entrega das matérias e das fotografias. O material produzido foi postado no Blog do Ateliê diariamente e algumas matérias e fotos selecionadas foram publicadas no jornal da região O Vale.

Os professores ouvintes acompanharam as aulas, participaram de conversas sobre dança, metodologia e criação e também terão aulas práticas. O 3º Ateliê Internacional SPCD contou com personalidades do cenário da dança nacional e internacional: Ady Addor, Eva Schul, Edson Araya, Edson Santos, Sérgio Rocha, Carlos Eduardo Pereira da Silva, Gisele Santoro e Inês Bogéa.

O 2° Ateliê Internacional São Paulo Companhia de Dança aconteceu entre os dias 28 de abril e 2 de maio, no Parque do Engenho Central (Av. Maurice Allan, 454), em Piracicaba (SP).

Durante cinco dias os bailarinos selecionados se dividiram em quatro grupos distintos para aulas de balé clássico, dança contemporânea, técnica de Martha Graham, técnica de Cunningham, história da dança do Brasil, história da dança do Ocidente e participaram de processos coreográficos assinados por importantes coreógrafos do Brasil e exterior. No dia 28 de abril (terça-feira), a SPCD apresentou um espetáculo que incluiu a estreia de Litoral (2015) coreografia assinada por Maurício Wainrot; no dia 29 (quarta-feira), tivemos uma palestra sobre lesão para bailarinos. A Cedan (Companhia Estável de Dança de Piracicaba) subiu ao palco no dia 30 (quinta-feira); no dia 1º de maio os alunos se reuniram em uma confraternização, e no dia 2 de maio (sábado), aconteceu a apresentação dos processos coreográficos desenvolvidos ao longo do Ateliê. As atividades aconteceram no Teatro Municipal Erotides de Campos, dentro do Engenho Central.

Os professores ouvintes tiveram uma programação especial nesta edição. Além de acompanharem as aulas e participarem de conversas sobre dança clássica, contemporânea, metodologia e criação tiveram também aulas práticas.

Os estudantes de jornalismo vivenciaram a rotina de uma redação de jornalismo impresso sempre acompanhados de um orientador, que organizou as pautas e os prazos para entrega das matérias.

O material produzido foi postado no Blog da SPCD e as matérias selecionadas foram publicadas com assinatura do participante no caderno de Cultura do Jornal de Piracicaba. Os fotógrafos tiveram uma vivencia parecida, produzindo um material artístico e jornalístico quando acompanharam os repórteres durante as pautas, captando em imagens a essência do texto ou mesmo em atividades direcionadas.

Dentre as personalidades do cenário da dança nacional e internacional que participaram do 2º Ateliê Internacional SPCD, estão: Andrea Pivatto (professora), Beatriz Cerbino (professora), Gícia Amorim (professora), Graça Salles (professora e coreógrafa), Jussara Miller (professora e coreógrafa), Simone Alcântara (professora), Marcela Benvegnu (mediadora), Inês Bogéa (mediadora), Penha de Souza (professora), Milton Coatti (professor e coreógrafo), Giovanni Di Palma (professor e coreógrafo), Eleni Destro (orientadora de jornalismo), Wilian Aguiar (orientador de fotografia), Renata Pacheco (coreógrafa), Monique Paes (coreógrafa), Daniela Severian (coreógrafa), Fabiano Lima (coreógrafa), Sandra Elizabeth Joussef Carvalho (fisioterapeuta).

O 1° Ateliê Internacional São Paulo Companhia de Dança aconteceu entre os dias 29 de abril e 03 de maio, na cidade de Piracicaba, interior de São Paulo, no Engenho Central. (Av. Maurice Allain, 454). Todas as atividades foram gratuitas mediante inscrição e seleção. O evento também arcou com alojamento e alimentação dos selecionados.

Durante cinco dias os participantes se dividiram em quatro grupos distintos para aulas de Balé Clássico, Improvisação e Composição, Dança Contemporânea, História da Dança do Brasil, História da Dança do Ocidente. Todos participaram de processos coreográficos assinados por importantes coreógrafos do Brasil e exterior. Durante o dia, as atividades ocorreram nas salas de ensaio e, a noite, nos palcos. Nos dias 29 e 30 de abril, a SPCD apresentou obras de seu repertório; no dia 1º de maio, a Cedan (Companhia Estável de Dança de Piracicaba) subiu ao palco; e, no dia 3, os alunos apresentaram os processos coreográficos desenvolvidos ao longo dos quatro dias. Os espetáculos tiveram mediação de Inês Bogéa, diretora artística da São Paulo Companhia de Dança, e aconteceram no Teatro Municipal Erotides de Campos.

Os professores ouvintes tiveram uma programação especial. Além de acompanharem as aulas participaram de conversas sobre dança clássica, contemporânea, metodologia e criação mediadas por Marcela Benvegnu, coordenadora de Educativo e Comunicação da SPCD, e convidados. Os jornalistas e fotógrafos selecionados tiveram o acompanhamento de um orientador e produziram um material especialmente para o blog do Ateliê e para o Jornal de Piracicaba.

Somou-se às apresentações noturnas, o Espetáculo Aberto Para Estudantes e Terceira Idade, que aconteceu no dia 30 (quarta-feira),  também no Teatro Municipal Erotides de Campos. Nesta ação, o público estabeleceu um contato geral com o universo da dança: assistiu a coreografias e trechos de obras do repertório da SPCD e recebeu um material didático com ilustrações assinadas por cartunistas brasileiros. Durante a atividade, Inês Bogéa subiu ao palco para mediar brincadeiras com os alunos, trazendo a dança para uma linguagem lúdica e divertida. A atividade foi gratuita.

Dentre as personalidades do cenário da dança nacional e internacional que participaram do 1º Ateliê Internacional SPCD estão: Dimitri Magitov, professor de balé da John Cranko Scholl (Stuttgart, Alemanha); Hilary Cartwright, professora convidada do The Juilliard School (Nova York, Estados Unidos); Ludmila Sinelnikova, professora de dança clássica da Escola do Teatro Bolshoi no Brasil (Rússia/Brasil); Luiz Fernando Bongiovanni, professor, coreógrafo e diretor do Núcleo de Pesquisa Mercearia de Ideias (Brasil); Paulo Caldas, diretor e coreógrafo da Staccatto Cia. de Dança (Brasil); Miriam Druwe, professora, coreógrafa e diretora artística da Cia. Druw (Brasil); Vera Aragão, professora do curso de Dança do Centro Universitário da Cidade – UniverCidade (Brasil); Tíndaro Silvano, professor e coreógrafo, desenvolve criações para companhias nacionais e internacionais (Brasil); Ana Terra, professora do curso de graduação em Dança da Universidade Anhembi Morumbi (Brasil); Henrique Rochelle, pesquisador e teórico de dança (Brasil), Eleni Destro, codiretora da revista Corre! (Brasil) e Wilian Aguiar, fotógrafo especializado em dança (Brasil) ; Allan Falieri, bailarino, coreógrafo e professor convidado em festivais de dança no Brasil e exterior (Madrid/Brasil); Clébio Oliveira, bailarino, coreógrafo e professor de dança contemporânea (Berlim/Brasil); Daniela Cardim, assistente de direção, professora, ensaiadora e coreógrafa do New English Ballet Theatre (Londres); Eric Frederic, maître do Ballet do Theatro Municipal do Rio de Janeiro (Bélgica/Brasil); Erika Novachi, professora e coreógrafa, diretora residente do Galpão 1 Cia. de Dança (Brasil); Samuel Kavalerski bailarino e coreógrafo, assistente de coreografia do projeto MOV_OLA (Brasil); Beatriz de Almeida, professora, coreógrafa e diretora do Estúdio de Dança Beatriz de Almeida (Brasil) e Jorge Teixeira, diretor artístico da Cia. Brasileira de Ballet e diretor-fundador do Conservatório Brasileiro de Dança (Brasil).

X