Dança em Rede

Aurora Dickie

  • Categoria: Profissionais da dança
  • País de origem: Brasil
  • UF de origem: PE
  • Cidade de origem: Recife
  • Atividade: Bailarina
  • Data de nascimento: 29/04/1989

Histórico

Aurora Dickie, perfil no site do Staatsballett Berlin. Foto: Strempel's Photography Services  | Divulgação
Aurora Dickie, perfil no site do Staatsballett Berlin. Foto: Strempel's Photography Services | Divulgação
Aurora Dickie, A Bela Adormecida, Staatsballett Berlin. Foto: Fernando Marcos Ibáñez  | Divulgação
Aurora Dickie, A Bela Adormecida, Staatsballett Berlin. Foto: Fernando Marcos Ibáñez | Divulgação
Aurora Dickie e Misha Kaniskin, Petite Mort, Staatsballett Berlin. Foto: Yan Revazov  | Divulgação
Aurora Dickie e Misha Kaniskin, Petite Mort, Staatsballett Berlin. Foto: Yan Revazov | Divulgação
Aurora Dickie e Arshak Ghalumyan, Jewels, Staatsballett Berlin. Foto: Carlos Quezada | Divulgação
Aurora Dickie e Arshak Ghalumyan, Jewels, Staatsballett Berlin. Foto: Carlos Quezada | Divulgação

 

Biografia

Aurora Dickie veio de uma família de artistas. Sua mãe, Jane Dickie, é professora de ballet e ex-bailarina profissional; sua avó, pianista e professora de música. Começou a fazer aulas de ballet aos 5 anos de idade e, aos 11, prestou audição para a Escola do Teatro Bolshoi no Brasil, onde estudou de 2000 a 2005. Teve aulas com Galina Kravtchenko e foi selecionada para um estágio no Teatro Bolshoi de Moscou.

Sua carreira profissional teve início no ano seguinte, ao participar da montagem de O Quebra-Nozes com a Cisne Negro Cia. de Dança. Em 2007, entrou para a Cia de Dança de São José dos Campos. Poucos meses depois, ingressou no The Washington Ballet, onde ficou até 2009. Foi contratada pela São Paulo Companhia de Dança em 2010 e voltou ao The Washington Ballet no ano seguinte. Em 2015, ingressou no Staatsballett Berlin. Atualmente é solista da companhia.

Em competições internacionais, foi medalha de bronze no Youth America Grand Prix 2007, medalha de bronze no Cape Town Internacional Ballet Competition 2012 e prêmio Excellence in Contemporary em Boston 2012.

Em 2018, foi membro do júri Ballet Beyond Borders em Montana March (EUA); também palestrante e participante do International Summer School  em Eger (Hungria), patrocinado por Erasmus (União Europeia).

 

Principais trabalhos

No Staatsballett Berlin, seus principais trabalhos foram Clara em O Quebra-Nozes (2013), Vasily Medvedev e Yuri Burlaka; Myrtha em Giselle (1991), de Patrice Bart; Princesa italiana e grandes cisnes, O Lago dos Cisnes (1997), de Patrice Bart depois de Marius Petipa (1818-1910) e Lev Ivanov (1834-1901); Madge em La Sylphide (1936), de August Bournonville (1805-1879); Gamzatti em La Bayadère (2018), de Alexei Ratmansky; Pas de deux de Esmeraldas e pas de deux de Diamantes em Jewels (1967), de George Balanchine (1904-1983); Sombra em La Bayadère (1999), de Vladimir Malakhov; Fada Migalha de Pão em A Bela Adormecida (2011), Multiplicity. Forms of Silence and Emptiness (1999), Herrumbre (2004) e Erde (2017), de Nacho Duato; Secus (2005), de Ohad Naharin; Petite Mort (1992), de Jirí Kylián; Solo em Altro Canto (2006), de Jean-Christophe Maillot; The Second Detail (1991), de William Forsythe; e LIB (2019), de Alexander Ekman.

Em outras companhias, ela dançou Odette/Odile em O Lago dos Cisnes (2015), de Kirk Peterson depois de Marius Petipa (1818-1910) e Lev Ivanov (1834-1901); Giselle e Myrtha em Giselle (2012), de Charla Genn depois de Jules Perrot (1810-1892) e Jean Coralli (1779-1854); La Sylphide (1836), de August Bournonville (1805-1879); Demi solo em Theme and Variations (1947) e Serenade (1935), de George Balanchine (1904-1983); Fada Açucarada, Snow Queen, Dawdrop em O Quebra-Nozes (2004), Wendy em Peter Pan (2001) e ALICE (in wonderland) (2012), de Septime Webre; Polyphonia (2001) e There Where She Loved (2000), de Christopher Wheeldon; Prism (2014) e Sueño de Marmol (2012), de Annabelle Lopes Ochoa; Petite Mort (1992), de Jirí Kylián; Solo, 5 tangos (1977), de Hans van Manen; e Rooster (1991), de Christopher Bruce. 

Também participou de Sumaúma (2018), de Thiago Soares; e de O Quebra-Nozes, entre 2017 e 2019, com a Cisne Negro Cia de Dança, direção artística de Hulda Bittencourt.

 

Bibliografia

(Cássia Pires | Pesquisa SPCD)

Videografia

Aurora Dickie

Categoria: Profissionais da dança
Atividade atual: Bailarina solista do Staatsballett Berlin
Cidade natal: Recife - Pernambuco (Brasil)
Nascimento: 29/04/1989
 

Biografia

Aurora Dickie veio de uma família de artistas. Sua mãe, Jane Dickie, é professora de ballet e ex-bailarina profissional; sua avó, pianista e professora de música. Começou a fazer aulas de ballet aos 5 anos de idade e, aos 11, prestou audição para a Escola do Teatro Bolshoi no Brasil, onde estudou de 2000 a 2005. Teve aulas com Galina Kravtchenko e foi selecionada para um estágio no Teatro Bolshoi de Moscou.

Sua carreira profissional teve início no ano seguinte, ao participar da montagem de O Quebra-Nozes com a Cisne Negro Cia. de Dança. Em 2007, entrou para a Cia de Dança de São José dos Campos. Poucos meses depois, ingressou no The Washington Ballet, onde ficou até 2009. Foi contratada pela São Paulo Companhia de Dança em 2010 e voltou ao The Washington Ballet no ano seguinte. Em 2015, ingressou no Staatsballett Berlin. Atualmente é solista da companhia.

Em competições internacionais, foi medalha de bronze no Youth America Grand Prix 2007, medalha de bronze no Cape Town Internacional Ballet Competition 2012 e prêmio Excellence in Contemporary em Boston 2012.

Em 2018, foi membro do júri Ballet Beyond Borders em Montana March (EUA); também palestrante e participante do International Summer School  em Eger (Hungria), patrocinado por Erasmus (União Europeia).
 

Principais trabalhos

No Staatsballett Berlin, seus principais trabalhos foram Clara em O Quebra-Nozes (2013), Vasily Medvedev e Yuri Burlaka; Myrtha em Giselle (1991), de Patrice Bart; Princesa italiana e grandes cisnes, O Lago dos Cisnes (1997), de Patrice Bart depois de Marius Petipa (1818-1910) e Lev Ivanov (1834-1901); Madge em La Sylphide (1936), de August Bournonville (1805-1879); Gamzatti em La Bayadère (2018), de Alexei Ratmansky; Pas de deux de Esmeraldas e pas de deux de Diamantes em Jewels (1967), de George Balanchine (1904-1983); Sombra em La Bayadère (1999), de Vladimir Malakhov; Fada Migalha de Pão em A Bela Adormecida (2011), Multiplicity. Forms of Silence and Emptiness (1999), Herrumbre (2004) e Erde (2017), de Nacho Duato; Secus (2005), de Ohad Naharin; Petite Mort (1992), de Jirí Kylián; Solo em Altro Canto (2006), de Jean-Christophe Maillot; The Second Detail (1991), de William Forsythe; e LIB (2019), de Alexander Ekman.

Em outras companhias, ela dançou Odette/Odile em O Lago dos Cisnes (2015), de Kirk Peterson depois de Marius Petipa (1818-1910) e Lev Ivanov (1834-1901); Giselle e Myrtha em Giselle (2012), de Charla Genn depois de Jules Perrot (1810-1892) e Jean Coralli (1779-1854); La Sylphide (1836), de August Bournonville (1805-1879); Demi solo em Theme and Variations (1947) e Serenade (1935), de George Balanchine (1904-1983); Fada Açucarada, Snow Queen, Dawdrop em O Quebra-Nozes (2004), Wendy em Peter Pan (2001) e ALICE (in wonderland) (2012), de Septime Webre; Polyphonia (2001) e There Where She Loved (2000), de Christopher Wheeldon; Prism (2014) e Sueño de Marmol (2012), de Annabelle Lopes Ochoa; Petite Mort (1992), de Jirí Kylián; Solo, 5 tangos (1977), de Hans van Manen; e Rooster (1991), de Christopher Bruce. 

Também participou de Sumaúma (2018), de Thiago Soares; e de O Quebra-Nozes, entre 2017 e 2019, com a Cisne Negro Cia de Dança, direção artística de Hulda Bittencourt.
 

Videografia

Kitri Entrance Variation, finals, YAGP 2007
<https://www.youtube.com/watch?v=H61gmwCjY1w>

Ensaio de O lago dos cisnes 
<https://www.youtube.com/watch?v=Y4DqUs1atak>

Os bailarinos brasileiros do Ballet Estatal de Berlim, DW Brasil, 2017 
<https://www.youtube.com/watch?v=DDab5V5pVfc>
X