Dança em Rede

Chamas de Paris

  • Categoria: Coreografias
  • País de origem: Rússia
  • Cidade de origem: São Petersburgo
  • Ano de criação: 1932
  • Duração: 130 minutos
  • Grupos de estreia: Kirov Ballet
  • Autores: Vasily Vainonen

Histórico

Maria Alexandrova como Jeanne, Chamas de Paris, Bolshoi Ballet. Foto: Elena Fetisova | Divulgação

Chamas de Paris (1932) é um balé de três atos, com coreografia de Vasily Vainonen (1901-1964) e música de Boris Asafiev (1884-1949), com base nas canções da Revolução Francesa. O libreto original foi escrito por Nikolai Volkov (s.d.) e Vladimir Dmitriev (1900-1948) com base no livro Les rouges du midi (1896), de Felix Gras (1845–1901).

Chamas de Paris (1932) foi remontado pelo Bolshoi Ballet um ano após a sua estreia e se manteve em seu repertório por 30 anos. Depois de um longo período de ausência, foi realizada uma nova remontagem em 2008, com coreografia e libreto refeitos por Alexei Ratmansky. Outra remontagem completa foi realizada pelo Mikhailovsky Ballet em 2013, com coreografia de Vasily Vainonen (1901-1964) revista por Mikhail Messerer. As duas companhias mantêm a obra em seus repertórios. Em relação ao pas de deux, ele foi remontado pelo American Ballet Theatre em 1972 e pelo Royal New Zealand Ballet em 2019, ambos com coreografia de Vasily Vainonen (1901-1964).

O grand pas de deux é a passagem mais famosa desse ballet, sendo comumente visto em galas e competições, tanto completo quanto as variações masculina e feminina. A dança basca também costuma ser dançada em galas e festivais.

Videografia

Em DVD

Stars of the Russian Ballet, com sequências de O lago dos cisnes, A fonte de Bakhchisarai e Chamas de Paris, 1954

Flames of Paris, Bolshoi Ballet, com Natalia Osipova, Ivan Vasiliev, Denis Savin e Yuri Klevtsov, 2010

No cinema

Chamas de Paris, Bolshoi Ballet, temporada 2017-2018

Para TV

Flames of Paris, Mikhailovsky Ballet, canal Mezzo, 2013

Na internet

Pas de deux, Chamas de Paris, Bolshoi Ballet, 2010
<https://www.youtube.com/watch?v=g_IKPtrqrpU>

Dança basca, Chamas de Paris, Dance Open, Mikhailovsky Ballet, 2019
<https://www.youtube.com/watch?v=wMGv1Tc2dMw>

Grand pas de deux, Chamas de Paris, Dance Open, Elena Evseeva e Igor Tsvirko, 2019
<https://www.youtube.com/watch?v=VeeeIaKM5Gw>

Trailer de Chamas de Paris, Mikhailovsky Ballet, 2014
<https://www.youtube.com/watch?v=WS6qJO6TfrY>

Versão do Stars of the Russian Ballet, Chamas de Paris completo, 1954
<https://www.youtube.com/watch?v=WZFcQp2xcg4>

Igos Tsvirko comenta sobre a dança basca, Chamas de Paris, Bolshoi Ballet, 2018
<https://www.youtube.com/watch?v=cXaSqSNxhKU>

Sinopse

França, 1792. Um grupo de revolucionários, sob a liderança de Philippe, quer derrubar a monarquia e fundar a república. Gaspar e seus filhos, Jeanne e Jacques, se juntam ao grupo depois de serem agredidos por caçadores que acompanhavam o Marquês de Beauregard. Em uma festa no Palácio de Versalhes, a monarquia pretende acabar com a revolução com a ajuda da Prússia. Diane Mireille e Antoine Mistral, atores que participavam da festa, não deixam isso acontecer: Mistral descobre o plano e acaba morto, Mireille avisa os revolucionários. O palácio é invadido pela multidão e Teresa, uma mulher basca participante dos protestos de rua dos sans-culottes, leva um tiro de um dos oficiais. Mesmo assim, os revoltosos alcançam o seu objetivo.

Alexei Ratmansky realizou sua versão em 2008 e fez algumas mudanças. Jeanne e Jacques se juntam ao grupo de revolucionários sem Gaspar, além de ganharem uma participação bem maior na história. Uma nova personagem foi criada, Adeline, filha do marquês. Ela e Jacques se apaixonam um pelo outro. No palácio, apenas a festa acontece e não mais os planos para acabar com a revolução. Teresa desapareceu nessa versão. Depois da invasão do palácio, o Marquês de Beauregard é preso e, por ser sua filha, Adeline acaba morta na guilhotina.

 

SOBRE O CRIADOR DA OBRA

Vasily Vainonen (1901-1964) nasceu em São Petersburgo, na Rússia, e começou a coreografar aos 19 anos. Trabalhou para o Kirov Ballet (Mariinsky Ballet) entre 1930 e 1938 e ficou famoso pelo seu trabalho para a companhia. A sua obra mais conhecida é Chamas de Paris (1932), mas também criou Mirandolina de Vasilenko (1949), Gayane (1957) e a dança da ópera The Bartered Bride (1948). Também coreografou suas versões para O Quebra-Nozes (1934), Raymonda (1938), Harlequinade (1945) e A Bela Adormecida (1952). Dirigiu sua própria companhia, Novosibirsk Opera and Ballet Theatre, entre 1950 e 1953. Faleceu em Moscou, na Rússia.

 

 

 

 

Cássia Pires | Pesquisa SPCD

X