Dança em Rede

Denise Namura

  • Categoria: Profissionais da dança
  • País de origem: Brasil
  • UF de origem: SP
  • Atividade: Coreógrafa
  • Ano de criação: 2020

Histórico

Foto de: Luc Depreitere

Denise Namura é bailarina, coreógrafa e uma das diretoras da Cie. « à fleur de peau »em Paris. Premiada internacionalmente, ela conta com um preparo multidisciplinar e se formou com pessoas importantes como a coreógrafa polonesa Ella Jaroszewicz e o diretor de teatro e escritor polonês Ludwik Flaszen.

Em 1984, Denise se tornou co-fundadora da Cie. « Chut libre » e desde então está à frente de workshops para profissionais e amadores, oficinas de sensibilização para crianças e trabalhos específicos para hospitais psiquiátricos e estabelecimentos sociais.

Em 1989, cinco anos depois, ela fundou sua própria companhia, a Cie. « à fleur de peau », junto com o também diretor, bailarino e coreógrafo Michael Bugdahn, onde até hoje ela cria e interpreta diversas obras. Vale ressaltar que, atualmente, a companhia conta com 45 criações em repertório, já fez turnês em mais de vinte países, além de participações em festivais e manifestações internacionais de renome.

Além do trabalho desenvolvido para a sua própria cia., Denise cria espetáculos, coreografias e faz acompanhamentos artísticos para outras instituições da dança com Michael Bugdahn. Desta forma, ela já elaborou criações para a Cia Repentistas do Corpo, a Cia. A Trupe Dosquatro, a Véronique Bret, a Passerelle, a Companhia de Dança de Diadema, o Grupo de dança 1º Ato, a Companhia Portuguesa de Bailado Contemporâneo, a Cie. Cisne Negro, o Balé da Cidade de São Paulo, a Bernballet, a Rotterdamse Dansacademie e a Cirka Teater.  

PRÊMIOS

  •  Prêmio de Humor no Concurso Volinine com «Quatre quarts»;
  •  1° lugar no Concurso Internacional para Coreógrafos de Groninga com «Quelques réflexions»;  
  • Prêmio Denilto Gomes 2014 na categoria de Criação em Dança Contemporânea para crianças com «A mão do meio» (sinfonia lúdica);        
  • 1° Prêmio Usiminas Sinparc em 2013 pela criação de luz, figurino e melhor bailarino para «Pó de nuvens».·      

 

Trabalhos

·        " Quatre quarts", "Quelques réflexions", “Olhares alheios”, “Nuances – uma ilha azul num oceano cor de céu”, “Trudi 1933 présent composé”, “Pix & Moves”, “A mão do meio”, “Pó de nuvens”, “Salto immortale”, “La vie en rose ???”, “Talvez sonhar”, “Como se não coubesse no peito”, “Plus qu’hier et moins que demain”, “Vanish into thin air”, “Si dei uten a si det”, “Poste restante” e muitos outros.

 

X