Dança em Rede

Grupo Grial

  • Categoria: Companhias Profissionais
  • País de origem: Brasil
  • UF de origem: PE
  • Cidade de origem: Recife
  • Ano de criação: 1997
  • Responsável: Maria Paula Costa Rêgo
  • Responsável cargo: Diretor/Coreógrafo
  • Telefone: (81) 9967-5094
  • Endereco: R. João Ramos, 221
  • Bairro: Graças
  • E-mail: grupogrial@gmail.com

Histórico

O grupo é criado no Recife pelo poeta e escritor Ariano Suassuna e Maria Paula Costa Rêgo, formada em dança pela Universidade Sorbonne Paris 8, na França, e ex-bailarina do Balé Popular do Recife e da Cia. de Dança na Vertical Les Passagers.

Surge em 1997 com a proposta de perseguir os preceitos do Movimento Armorial, criado nos anos 1970, desenvolvendo um trabalho de pesquisa coreográfica em dança contemporânea inspirado nas tradições culturais do Nordeste brasileiro, que mesclam influências ocidentais, africanas e indígenas, presentes na arte dos brincantes de Tradição Popular do Nordeste brasileiro.

Nesse mesmo ano, estreia seu primeiro espetáculo, A Demanda do Graal Dançado", com o qual abre o 3º Dança Brasil.

Em 1999, é a vez de "Auto do Estudante que se Vendeu ao Diabo", apresentado na França dentro do Festival 11éme, em Paris.

Em 2000, por encomenda do Sesc Vila Mariana, em São Paulo, cria "As Visagens de Quaderna ao Sol do Reino Encoberto", com o qual recebe o Prêmio Dança nas Cidades da Funarte, em 2001.

Com "Uma Mulher Vestida de Sol - Romeu e Julieta", recebe em 2002 novo prêmio da Funarte dentro do projeto Encena Brasil. Em 2003, o grupo elabora "Folheto V - Hemisfério Sol", um espetáculo de dança na vertical, com uso de rappel, e que traz ainda o primeiro experimento do grupo com com a arte numérica.

Em 2004, Maria Paula Costa Rêgo é selecionada para participar do Ateliê de Coreógrafos Brasileiros, realizado em Salvador, no qual desenvolve o solo "O Pasto Iluminado".

Em 2005, estreia a trilogia "A Parte que nos Cabe" com "Brincadeira de Mulato", baseada no universo folclórico do Cavalo-Marinho, no Teatro Fábrica, em São Paulo.

A convite do Festival Brasil em Cena, realizado em Berlim, o grupo desenvolve, em 2006, uma releitura desse trabalho, inserindo a participação de artistas como Helder Vasconcelos e Mestre Biu. No mesmo ano, também cria as duas parte restantes da trilogia, batizada de "Ilha Brasil - Vertigem", que recebeu o Prêmio Klauss Vianna, e "Castanho sua Cor", que teve pré-estreia no Teatro Fábrica, em São Paulo, e só viria oficialmente a público em 2007, no Teatro Santa Isabel, no Recife. Com recursos do Programa BNB de Cultura, o Grial faz turnê pelo interior de Pernambuco com essa trilogia.

Além dessa excursão, o grupo também ganha o edital da Caixa Cultural de Curitiba, é convidado para o Festival de Teatro Brasileiro, em Brasília, e realiza curtas temporadas em Salvador e Aracajú, além de ainda ser inserido na programação dos festivais Sesc Palco Giratório, Aldeia do Velho Chico e Festival de Inverno de Garanhuns, todos em Pernambuco.

Em 2009 o Grial recebe dois Prêmios (Klauss Vianna de Dança e Interações Estéticas) que possibilitam o início da criação da segunda trilogia do Grupo intitulada "Uma História, Duas ou Três", com o qual elabora "A Barca" (2010), "Travessia" (2011) e "Terra" (2013) - esse último participante do Processo da Mostra de Intérpretes Criadores e contemplado com o prêmio ProCultura 2012 da Fundação Nacional de Artes (Funarte).

Os dois primeiros espetáculos dessa nova leva, baseada na ideia das formas como o corpo "conta" suas tradições, foram ainda incluídos na turnê 2012 do projeto Sesc Palco Giratório, por meio do qual circula em 55 cidades, entre as quais Cuiabá, Rio de Janeiro, São Paulo, Teresina, Florianópolis, Curitiba e Porto Alegre.

O Grial já circulou por diversos eventos no Brasil e no mundo, entre os quais o Dança Brasil (RJ), DançAtiva (RJ), Balaio Brasil (SP), Nordestes (PE/SP), Sesc Palco Giratório (Circuito Nacional), Sesc Palco Giratório (Regional), Julho em Salvador (BA), Mercado Cultural (BA), Plataforma 16 (GO), Bienal Sesc de Dança (SP), Festival de Dança de Recife (PE - 3 edições), Ateliê de Coreógrafos Brasileiros (BA), Fenarte (PB), Festival de Inverno de Campina Grande (PB), Festival de Inverno de Garanhuns (PE), Circuito Sesc Pernambuco (PE), Janeiro de Grandes Espetáculos(PE), Primavera Dança-Teatro Fábrica São Paulo (SP), Circuito Pernambucano de Artes Cênicas (PE), Mostra Caixa Cultural (RJ, DF, RS, PR), Mostra Ariano Suassuna (RJ), Mostra Contemporânea de Dança no Sesc Rio (RJ), Festival de Dança de Araracoara (SP), Festival du 11éme (França), Festival Les Cultures du Monde (França), Festival Brasil em Cena em Berlim/2006 (Alemanha), Circuito BNB de Cultura (DF e circuito nacional), Circuito CCBB (DF e circuito nacional) e Festival de Teatro Brasileiro (Brasília, Bahia e Sergipe)

Bibliografia

A Demanda do Graal Dançado (1997)

"Auto do Estudante que Se Vendeu ao Diabo" (1999)

"As Visagens de Quaderna ao Sol do Reino Encoberto" (2000)

"Uma Mulher Vestida de Sol - Romeu e Julieta" (2002)

"Folheto V - Hemisfério Sol" (2003)

"O Pasto Iluminado" (2004)

"Brincadeira de Mulato" (2005)

"Ilha Brasil - Vertigem" (2006)

"Castanho sua Cor" (2007)

"A Barca" (2010)

"Travessia" (2011)

"Terra" (2013)"

Trabalhos

Festival Inverno de Garanhuns (PE).

Além de Maria Paula, que atua como bailarina, coreógrafa e diretora artística, integram o elenco da companhia Anne Costa, Aldene Nascimento, Emerson Dias, Orun Santana,Iara Agra e Dayse Marques. "
X