Dança em Rede

Rubens Barbot Teatro de Dança

  • Categoria: Companhias Profissionais
  • País de origem: Brasil
  • UF de origem: RJ
  • Cidade de origem: Rio de Janeiro
  • Ano de criação: 1990
  • Responsável: Rubens Barbot
  • Responsável cargo: Diretor/Coreógrafo
  • Telefone: (21) 2507-4575
  • Endereco: Av. Treze de Maio nº 33 – Bloco A – 20 º Andar – Sala 2003
  • Bairro: Centro
  • E-mail: dancarb@ig.com.br

Histórico

Ê fundada em agosto de 1990, no bairro de Quintino, no Rio de Janeiro, pelo coreógrafo e bailarino gaúcho Rubens Barbot e se transforma na primeira companhia negra de dança contemporânea do Brasil, com uma pesquisa contínua em torno dos gestos, movimentos e imagens dos corpos afrobrasileiros.

Formada por bailarinos, músicos e atores negros, a Rubens Barbot Teatro de Dança busca desde o início ser um centro de referência de pesquisa da relação do afrobrasileiro com suas raízes africanas.

Em 1993, causa boa impressão no Festival Internacional de Corrientes, na Argentina, de onde sai com dois dos mais importantes prêmios, os de melhor espetáculo e melhor companhia, para o trabalho “Três Estudos Coreográficos”.

Esse resultado abre portas no Rio de Janeiro, onde até então tinha dificuldade de atuação, e o grupo é convidado por Lia Rodrigues a participar, no mesmo ano, da primeira edição do Panorama de Dança.

Em 1995, recebe um prêmio da Funarte pelo conjunto da obra e, no ano seguinte, participa da 7ª Bienal de Lyon, na França, na edição consagrada à dança brasileira. Por lá, apresenta o espetáculo “Toque de Dança – Suíte para Percussão e Corpos” na Ópera de Lyon, com o qual foi ovacionada.

Em 1998, vai à Alemanha, onde se apresenta em várias cidades, incluindo Frankfurt e Munique, dessa vez com o espetáculo “Em Pleno Meio Dia da Nossa Noite”, que apresentava a realidade dos adolescentes de rua de forma cruel e realista. Desde então, a companhia tem como marca registrada a elaboração de espetáculos onde o Brasil, a sociedade e a cultura são o pivô da temática.

Em 2007, com patrocínio da Petrobras, o grupo abre uma exposição de 90 fotos de sua trajetória e lança uma caixa de DVDs reunindo 13 espetáculos encenados por ele.

Em 2008, estreia com recursos do Prêmio Klauss Vianna“O Reino do Outro Mundo – Orixás” em uma catedral anglicana e, em 2010, celebra com o espetáculo“40+20”os 40 anos de carreira de Rubens Barbot e os 20 anos da companhia no Teatro Tom Jobim, que faz ainda uma breve excursão a Porto Alegre, cidade natal de Rubens Barbot, como participante do V Panorama de Artes de Matriz Africana.

Em 2012, o filme “Esse Amor que Nos Consome”, que mostra a relação de Barbot com o produtor Gato Larssen e a mudança da companhia para uma nova sede, é premiado com melhor direção de arte e melhor montagem no Festival de Brasília do Cinema Brasileiro.

Em mais de 20 anos de atividades, a companhia desenvolve um trabalho social em paralelo à criação artística, realizada com um elenco permanente, no qual já figuraram Aline do Carmo, Ana Paula Dias, Aldair Ventura, Ana Gabriela Castro, André Santana, Cláudia Ramalho, Carlos Borges, Cris Brasil, Denis Gonçalves, Êlvio Assunção, Fernando Dafne, Jean Pierre Lacerda, Kleber Madeira, Luis Monteiro, Ney Andrade, Raphel Rodriguez, Renato Paschoal, Rubens Rocha, Sara Hana, Sérgio Menezes, Valéria Monã e Wilian Santiago.

Trabalhos

Um Rio, de Janeiro a Janeiro (2012)

"Solos em Companhia" (2011)

"40 + 20" (2010)

"O Reino do Outro Mundo - Orixãs" (2008)

"Quase uma História" (2006)

"Cenas que Guardei no Bolso da Memória" (2002)

"Tempo de Espera" (2001)

"Esse Amor que Nos Consome" (2001)

"Não Ê Mar, mas Ê Salgado" (2000)

"Imagens" (1999)

"Toque Duplo" (1998)

"Em Pleno Meio Dia da Nossa Existência" (1997)

"Toque de Dança" (1996)

"Electronizumbi" (1995)

"Os Ilusionistas" (1994)

"Dança Naná" (1993)

"Três Estudos Coreográficos" (1992)

"Máscaras Negras" (1991)

"Suspeito Silêncio" (1990)"
X