Dança em Rede

Luiz Crepaldi

  • Categoria: Profissionais da dança
  • País de origem: Brasil
  • UF de origem: SP
  • Cidade de origem: São Paulo (Brasil)
  • Atividade: Bailarino do Balé da Cidade de São Paulo
  • Data de nascimento: 12/04/1990

Histórico

Biografia

Luiz Felipe Crepaldi nasceu em São Paulo, mas morou em Suzano até os 15 anos de idade. Em 2005, iniciou seus estudos na dança no Studio Marcia Belarmino, onde fez aulas com a professora Cristiane Renzi (contemporâneo) e a própria Márcia Belarmino (clássico).

Em 2006, foi encorajado pela professora Cristiane Renzi a participar de um Curso de Férias no Raça Centro de Artes, onde se destacou e ganhou uma bolsa de estudos, iniciando a segunda fase de sua carreira. 

Frequentando o Grupo Raça Centro de Artes, Luiz Crepaldi entrou em contato e teve aula com nomes de destaque como Edy Wilson e a própria Roseli Rodrigues, fundadora do grupo, que ajudou a despertar seu lado artístico.

Além dos dois, nomes como Andrea Pivatto, Silvana Franzio, José Ricardo Tomazelli, Eduardo Bonnis, Eduardo Menezes, Marcio Rongetti e uma breve experiência com Toshie Kobaiashi marcaram o amadurecimento de Crepaldi.

Ao longo da carreira, integrou o primeiro o grupo Kadwah, dirigido por Edy Wilson, e em seguida fez parte da Raça Companhia de Dança por quase 4 anos.

Em 2010, um ano após o falecimento de Roseli Rodrigues, Crepaldi teve a oportunidade de trabalhar na Companhia de Dança Deborah Colker, onde permaneceu por 5 anos. É nessa fase em que o artista começou a explorar mais suas capacidades criativas, começando a criar coreografias. 

Em 2016, Crepaldi ingressou no elenco do Balé da Cidade de São Paulo, onde segue dançando até o presente momento. No BCSP, através dos projetos Dancographismus, sob a direção de Iracy Cardoso, e Asas Para Voar, sob a direção de Ismael Ivo, Crepaldi coreografou as obras Mutare UNA.

 

Principais trabalhos

Caminho da Seda (2007-2008), de Roseli Rodrigues 
Tango Sob Dois Olhares (2008-2010), de Roseli Rodrigues      
Mix (2011-2015), de Deborah Colker 
 (2013-2014), de Deborah Colker           
Titã (2016), de Stefano Poda             
Corpus (2016), de André Mesquita 
Mais Flores, Por Favor… (2016), de Bruno Gregório
Paraíso Perdido (2017), de Andonis Foniadakis
Das Tripas, Coração (2017), de Ismael Ivo     
Adastra (2017-2018), de Caetano Soto  
Deranged (2018), de Chris Haring    
Trovador (2018), Alessandro Pereira
Um Jeito de Corpo (2018-2019), de Morena Nascimento    
 

 

Bibliografia

​(Pedro Aranha | Pesquisa SPCD)

X