Dança em Rede

Eneida Dreher

  • Categoria: Profissionais da dança
  • País de origem: Brasil
  • UF de origem: RS
  • Cidade de origem: Uruguaiana
  • Atividade: Coreógrafa
  • Atividade: Instrutora de Pilates
  • Atividade: Professora
  • Data de nascimento: 23/09/1943

Histórico

Nascida em Uruguaiana, no interior do Rio Grande do Sul, Eneida Dreher começou a dançar aos sete anos, em 1950, na Escola de Bailados Clássicos de Lya Bastian Meyer e, posteriormente, com Ilse Simon. Para complementar os estudos, durante as férias ela costumava viajar ao Rio de Janeiro para ter aulas com mestres, como Tatiana Leskova e Nina Verchinina.

Já formada, Eneida fundou em 1966 sua própria escola de dança na cidade de Farroupilha, no interior do Rio Grande do Sul, tornando-se a primeira pessoa a ensinar balé clássico na cidade.

Em 1974, passou a integrar, como primeira-bailarina, o Grupo Experimental de Dança, mantido pela Associação dos Professores de Dança do Rio Grande do Sul. Sua permanência nele, no entanto, duraria pouco. Em 1976, Eneida largou tudo para viajar a Nova York, nos Estados Unidos, onde estudou com Luigi Facciuto, um dos principais mestres americanos do jazz dance.

Aproveitando os conhecimentos adquiridos com essa experiência, Eneida retornou ao fim do ano a Porto Alegre, onde montou ao lado de Ilse Simon o SimonDreher Dança, tendo como grande chamariz o Modern Jazz de Luigi.

Em 1981, ela participou como primeira-bailarina da única montagem da Companhia de Dança do Rio Grande do Sul, interpretando “Carmina Burana”.

Em agosto 1981, integrou como primeira-bailarina, diretora e cofundadora da Terra Companhia de Dança do Rio Grande do Sul, marco da dança cênica gaúcha, que realizou 431 apresentações no RS, RJ, SP, BH, Alemanha e Itália até setembro de 1984.

Com o fim do grupo, passou dois anos na Alemanha. Com uma bolsa de estudo do Instituto Goethe, frequentou em 1986 a Staatliche Hochschule Fur Musik Ruhr (Tanz)), escola superior de dança dirigida por Pina Bausch.

Quando retornou, Eneida foi convidada a ser diretora artística do Palácio das Artes, em Belo Horizonte, mas, devido ao baixo salário, desistiu da empreitada. Foi quando Carlota Albuquerque, com quem já havia trabalhado no Terra, a chamou para dar aulas no Terpsí, fundado em 1987. Com ela, montou o espetáculo Quem Ê", responsável pelo estouro da companhia, onde permaneceu de 1989 a 1999 como preparadora técnica e assistente de direção. Ela ainda viria a participar de outros projetos com o grupo em 2001 e 2002, mas como assessora especial.

Em paralelo, assumiu outras tarefas durante esse período. De 1991 a 1994, foi coordenadora de Dança do Instituto Estadual de Artes Cênicas da Secretaria de Estado da Cultura. Entre 1999 e 2000, retornou ao cargo em paralelo às atividades como membro do Conselho Deliberativo da Fundação Theatro São Pedro.

Em 2005, formou-se no curso superior de Tecnologia em Dança pela Universidade Luterana do Brasil (ULBRA-RS) com a pesquisa "Antropofagismo Gaúcho", com a participação de sete expoentes das artes gaúchas: Daniela Carmona, Geraldo Flach, Carlota Albuquerque, José Claudio Moreira, Carlos Pasquetti, Antônio Carlos Cardoso e Luiz Augusto Fisher.

Em julho de 2006, formou-se ainda no Método Pilates promovido pela Escola de Pilates Condicionamento Físico e Mental (linha clássica), de Porto Alegre. Passou então a atuar como instrutora da modalidade em paralelo às atividades de docente no Instituto de Artes da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), onde ministrou diversas disciplinas no Departamento de Arte Dramática até julho de 2008.

Em 2009, recebeu o diploma de Honra ao Mérito – Personalidades da Dança pelo Curso de Licenciatura em Dança da UFRGS.

Ao longo de sua carreira, Eneida Dreher ministrou workshops de dança moderna para o Ballet do Teatro Castro Alves (1988 e 1997), Departamento de Artes Dramáticas da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (1992), Sesc-Santos (1996), Festival Porto Alegre em Cena (1996, 1997) e Wim Vandekeybus/Cia. Ultima Vez (1997).

Também coreografou para diversas peças infantis, além de ter integrado a comissão de curadoria e o júri de festivais e prêmios e atuado politicamente na Comissão Gaúcha de Dança, que lutou por investimentos para a dança no Rio Grande do Sul. "

Bibliografia

CUNHA, Morgada e FRANCK, Cecy. Dança: nossos artífices. Porto Alegre: Movimento, 2004.
X